In Verbis


icon-doc
REVISTA DE 2015

MJ culpa sindicato por falta de funcionários judiciais

  • PDF

A ministra da Justiça, Paula Teixeira da Cruz, admitiu hoje que existe "um défice" de funcionários judiciais, responsabilizando o movimento sindical pelo concurso pendente para a admissão de 400 novos elementos.

"É verdade, e fui sempre a primeira a dizê-lo, que temos um défice de funcionários judiciais. Sou a primeira a reconhecê-lo", afirmou a ministra à margem da celebração de um protocolo em Gaia para um novo Julgado de Paz que disse ser "um exemplo" para o país.

Para a governante o "problema" de falta de recursos humanos existe por várias razões, a primeira das quais "porque havia uma providência cautelar interposta por um determinado sindicato que suspendeu um concurso para a admissão de 400 funcionários judiciais e que está pendente".

"É evidente que todos nós gostaríamos de ter mais funcionários judiciais, sempre reconheci, mas tenho que respeitar o tempo dos tribunais quanto à providência cautelar que foi intentada ainda eu não tinha assumido funções", acrescentou.

Lembrou contudo ter sido aberto e estar "a decorrer o concurso para o ingresso de 600 funcionários judiciais" para o qual concorreram mil candidatos, e recordou o trabalho do ministério que dotou a Polícia Judiciária (PJ) "de uma sede com todas as valências" e para onde entraram "cerca de 200 novos elementos".

"Os recursos que todos temos são limitados mas mesmo dentro da limitação reparem no esforço que foi feito: 600 novos funcionários judiciais, 400 guardas prisionais, 127 novos agentes para a PJ e 37 técnicos de reinserção social", destacou.

Seis meses após a entrada em vigor do novo mapa judiciário, a ministra prefere não fazer um balanço porque "não há tempo de maturação da reforma", preferindo esperar que o mesmo conclua um ano.

"Mas o que me tem sido transmitido é que já há julgamentos (...) a serem marcados com oito dias de antecedência, o que era impensável", realçou a ministra segundo a qual "os tribunais neste momento estão com uma capacidade de resolução processual que já atinge, em alguns trimestres, os 176%".

"E, finalmente, pela primeira vez ouço: agora não preciso de ir a Lisboa", disse.

Diário Digital com Lusa | 27-02-2015

Comentários (3)


Exibir/Esconder comentários
...
Só demagogia...
Indignado , 28 Fevereiro 2015 - 11:35:53 hr.
...
Está provado que este governo defende a ilegalidade e depois culpa os outros por falta de recursos humanos.

Haja paciência.
XPTO , 28 Fevereiro 2015 - 22:11:09 hr.
...
O que nao falta é funcionarios judiciais sem nada que fazer. A começar pelo proprio sindicato e somando todos aqueles que deveriam estar a trabalhar nos tribunais e estao requisitados nos mais variados serviços, Ja vai sendo tempo de os por a trabalhar para a função que deveriam exercer.
atento , 04 Março 2015 - 14:39:33 hr.

Escreva o seu comentário

reduzir | aumentar

busy

Últimos conteúdos

Com o termo do ano de 2015, cessaram as publicações de conteúdos nesta Revista Digital de 2015.Para aceder aos conteúdos...

Relatório de gestão da comarca de Lisboa revela falta de dinheiro para impressoras, papel higiénico, envelopes e lâmpada...

Mudança ignorou dúvidas de constitucionalidade levantadas pelos dois conselhos superiores dos tribunais, pela Associação...

Portugal assinala 30 anos de integração europeia a 1 de Janeiro, e três décadas depois de ter aderido à então Comunidade...

Últimos comentários

Forense Agentes Públicos Oficiais de Justiça MJ culpa sindicato por falta de funcionários judiciais

© InVerbis | Revista Digital | 2015.

Arquivos

• Arquivos 2012 | 2013 |2014 |
Arquivo 2007-2011
Blog Verbo Jurídico
(findo)

Sítios do Portal Verbo Jurídico