In Verbis


icon-doc
REVISTA DE 2015

Portugal e o novo clima

  • PDF

mariosoares01Mário Soares, no Diário de Notícias - «(...) Nesta fase final de um governo incapaz e de um Presidente da República que nunca se dignou dizer uma palavra acerca de um ex-primeiro-ministro, com o qual durante tantos anos dialogou, a indignação e a solidariedade dos portugueses para com Sócrates não podia ser maior.
Como se tem visto em inúmeras visitas que, de norte a sul, lhe têm feito, com enorme carinho. Valha-nos isso. E o juiz Carlos Alexandre que se cuide...»

«DE NOVO SÓCRATES

Já passaram mais de dois meses desde que o ex-primeiro-ministro José Sócrates está preso, sem ser ouvido pela Justiça. O juiz responsável pela prisão, Carlos Alexandre, não conseguiu ainda encontrar - que se saiba - nada de concreto que justifique esta prisão. É extraordinário.

Contrariamente à situação referida, nunca tantos portugueses se manifestaram em favor de Sócrates e furiosos com a prisão por ele sofrida. Não só os socialistas mas também personalidades de outros partidos.

No recurso que foi apresentado pelos seus excelentes advogados, João Araújo e Pedro Delille, que muito estimo, para anular a prisão de Sócrates, a atuação do juiz, Carlos Alexandre, é posta em causa, sendo acusado de ter ultrapassado os seus deveres. Por isso se diz que o juiz citado foi além das suas funções, como, por exemplo, se escreve e bem no último Expresso.

Aliás, a Senhora bastonária da Ordem dos Advogados, Elina Fraga, disse na Rádio Renascença - cito - "que é a própria investigação criminal que entrega e tem relações perigosas e promíscuas com a comunicação social". Ou seja, parece que o Ministério Público, por via de Rosário Teixeira, violou o segredo de Justiça, bem como o juiz Carlos Alexandre no caso Sócrates.

Seja como for, a esmagadora maioria dos portugueses está indignada com a situação infame e intolerável em que se encontra José Sócrates. Nunca tantos portugueses se manifestaram em favor de José Sócrates, estando ao mesmo tempo indignados pelo que lhe aconteceu. Sintomaticamente, o Presidente Cavaco Silva não tem tido a coragem de dizer uma palavra sobre o assunto. É espantoso.»

Mário Soares | Diário de Notícias | 03-02-2015

Comentários (6)


Exibir/Esconder comentários
Velho quadrilheiro postando no pasquim do 44
A maioria dos portugueses está indignada é com o facto deste velho quadrilheiro que há 40 anos vive à custa do orçamento não fechar a matraca de vez e continuar descaradamente a gozar com a malta ostentando a sua peculiar noção do que seja o direito, a lei e a democracia
Pedro S , 03 Fevereiro 2015 - 20:31:58 hr. | url
...
Há duas formas de abordar este artiguelho indescritível:
a) MS foi um grande homem no seu tempo, mas agora está s***l, frontalizado e fossilizado, e daí o teor do artigo
b) MS está na posse de todas as suas faculdades: só que ele sempre foi assim, um irresponsável cuja noção de democracia e Estado de Direito é a que tudo corre bem desde que ninguém se atreva a meter-se com os seus amigos. E agora, que nada tem a perder, já não esconde o que lhe vai na alma...
Venha o diabo e escolha uma delas.
Zé Pagante , 03 Fevereiro 2015 - 22:36:01 hr.
...
Do Porta da Loja:

A ameaça é concreta porque não se escreve uma coisa destas de ânimo leve e para dizer bem ou apenas para criticar de forma ignóbil e ignorante ( e ainda tem o topete de se dizer jurista...).
O juiz "que se cuide" de quê, afinal?
Para além da indignidade do escrito, insultuosa, avulta ainda a prática de um crime de ameaça:

Artigo 153.º C. Penal:
Ameaça
1 - Quem ameaçar outra pessoa com a prática de crime contra a vida, a integridade física, a liberdade pessoal, a liberdade e autodeterminação sexual ou bens patrimoniais de considerável valor, de forma adequada a provocar-lhe medo ou inquietação ou a prejudicar a sua liberdade de determinação, é punido com pena de prisão até um ano ou com pena de multa até 120 dias.
2 - O procedimento criminal depende de queixa.



Ainda para além da ameaça pessoal, o juiz em causa é titular de um órgão de soberania. Logo, outro crime em perspectiva:

Artigo 333.º C. Penal
Coacção contra órgãos constitucionais
1 - Quem, por violência ou ameaça de violência, impedir ou constranger o livre exercício das funções de órgão de soberania ou de ministro da República é punido com pena de prisão de 1 a 8 anos, se pena mais grave lhe não couber por força de outra disposição legal.
(...)
Marc , 04 Fevereiro 2015 - 03:28:01 hr.
...
O título é "Portugal e o novo clima". Depois vem a ameaça. A conclusão é simples: vêm aí os socialistas! Quem se meteu ou meter com eles, que se cuide.
sorrisa , 04 Fevereiro 2015 - 10:11:00 hr.
...
Olhe que não, olhe que não Dr Mário Soares! O abuso foi tanto que hoje quem tem que se cuidar é o Sr, e peça às alminhas não vá o Rui Mateus aparecer por aí para recontar os Contos Proibidos-Memórias de um PS Desconhecido, porque então era o fim dessa sua macacada coloquial.
Marioa do Ó , 04 Fevereiro 2015 - 12:02:05 hr.
...
O Dr. Mário Soares ainda se rege pelo CPP dos tempos da outra senhora. Haja pachorra................
Valmoster , 04 Fevereiro 2015 - 18:02:09 hr.

Escreva o seu comentário

reduzir | aumentar

busy

Últimos conteúdos

Com o termo do ano de 2015, cessaram as publicações de conteúdos nesta Revista Digital de 2015.Para aceder aos conteúdos...

Relatório de gestão da comarca de Lisboa revela falta de dinheiro para impressoras, papel higiénico, envelopes e lâmpada...

Mudança ignorou dúvidas de constitucionalidade levantadas pelos dois conselhos superiores dos tribunais, pela Associação...

Portugal assinala 30 anos de integração europeia a 1 de Janeiro, e três décadas depois de ter aderido à então Comunidade...

Últimos comentários

Opinião Artigos de Opinião Portugal e o novo clima

© InVerbis | Revista Digital | 2015.

Arquivos

• Arquivos 2012 | 2013 |2014 |
Arquivo 2007-2011
Blog Verbo Jurídico
(findo)

Sítios do Portal Verbo Jurídico