In Verbis


icon-doc
REVISTA DE 2014

Juiz critica mapa judiciário durante sessão

  • PDF

No final da leitura do acórdão por homicídio qualificado referente a André Matos, o juiz Rui Alexandre fez questão de dirigir umas palavras ao público presente na sala de audiências do Tribunal da Lourinhã, responsabilizando-se pelo que ia dizer. "Queria agradecer aos advogados e às pessoas daqui porque este terá sido um dos últimos julgamentos no Tribunal da Lourinhã. Com o novo mapa judiciário haverá, a partir de setembro, um afastamento da comunidade" sublinhou o magistrado.

Lamentando que os julgamentos de crimes cometidos na zona passem para a comarca de Loures, o juiz Rui Alexandre foi acutilante: "Nós não temos medo de ser fiscalizados. Eu prefiro ter a sala cheia do que fazer um julgamento em Loures para uma sala vazia."

O novo mapa judiciário, uma das bandeiras da ministra da Justiça, Paula Teixeira da Cruz, não promove, na opinião do juiz, a proximidade entre a justiça e os cidadãos. "É muito importante que a justiça se efetive junto dos cidadãos. E é importante para o próprio tribunal. A presença das pessoas nunca nos intimidou", frisou.

Uma realidade que "em breve vai desaparecer", lamentou. "Só a mim me responsabilizo por estas palavras", concluiu o magistrado Rui Alexandre.

Como o DN já noticiou, também os advogados estão contra o novo mapa judiciário. A Ordem dos Advogados (OA) aprovou a apresentação de uma queixa-crime contra todos os membros do Governo pelo atentado ao Estado de Direito que representa, no entender da OA, o encerramento de duas dezenas de tribunais e a redução de funções de outros 27.

A deliberação foi tomada a 30 de maio pela maioria de 700 advogados reunidos em assembleia geral.

Diário de Notícias | 05-06-2014

Comentários (3)


Exibir/Esconder comentários
... , Comentário com excessivos votos negativos [Mostrar]
...
ó minha senhora!
caso não saiba, um juiz também é um cidadão.
o problema não está onde o aponta, está precisamente no ponto oposto: em nome da imparcialidade e da independência, durante muitos anos os nossos magistrados abdicaram de ser cidadãos. pena que já pode ir tarde...
ex-fp legalmente espoliado , 05 Junho 2014 - 18:27:17 hr.
Insatisfação
Se calhar muitos dos que criticam a medida, percorrem mais quilómetros para irem ao hipermercado mais próximo. Mas como devem ir mais vezes a tribunal que às compras,compreende-se a insatisfação.
Bohren , 07 Junho 2014 - 22:29:04 hr.

Escreva o seu comentário

reduzir | aumentar

busy

Últimos conteúdos

Com o termo do ano de 2014, cessaram as publicações de conteúdos nesta Revista Digital de 2014.Para aceder aos conteúdos...


O número de funcionários judiciais diminuiu 9,9 por cento em seis anos, enquanto os magistrados do Ministério Público au...

A partir de 1 de janeiro, os médicos vão recuperar os 20% tirados ao pagamento do trabalho extraordinário. ...

Últimos comentários

Forense Magistrados: Juízes Juiz critica mapa judiciário durante sessão

© InVerbis | Revista Digital | 2014.

Sítios do Portal Verbo Jurídico