In Verbis


icon-doc
REVISTA DE 2014

Advogada ganha 180 mil no crime

  • PDF

Jurista, casada com inspetor do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, fez fortuna com esquema fraudulento de legalização de imigrantes junto do SEF

X....., uma advogada de Setúbal casada com um inspetor do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), foi condenada a cinco anos de cadeia, com pena suspensa, por ter sido dado como provado que durante três anos, entre 2009 e 2012, liderou um negócio de legalização fraudulenta de imigrantes - que lhe rendeu uma fortuna - precisamente junto dos serviços do SEF. Segundo o coletivo de juizes, que leu o acórdão na última terça-feira, essa atividade gerou-lhe um lucro líquido superior a 180 mil euros. Mas, apesar da condenação por auxílio à imigração ilegal, nunca deixou de exercer advocacia naquela área. X..... está entre os 15 arguidos do processo. A investigação, que levou às detenções de 21 de julho de 2012, foi conduzida pela Direção Central de Investigação do SEF.

Ao que o CM apurou, o escritório de X..... era considerado apenas a ponta do iceberg de uma rede que começava no escritório de um falso contabilista. A este suspeito, que viria também a ser constituído arguido, competia a tarefa de realizar os falsos contratos de trabalho aos imigrantes. De acordo com a investigação, o falso contabilista terá, à semelhança de X....., amealhado uma considerável quantia (mais de 300 mil euros) com o esquema.

Era já na posse dos contratos de trabalho que os imigrantes se dirigiam à advogada, para concretizar as legalizações. Em tribunal, ficou provada a legalização fraudulenta de pelo menos 20 imigrantes. X..... esteve apenas um período suspensa de funções, após o primeiro interrogatório. Um recurso para o Tribunal da Relação de Évora anulou rapidamente essa interdição. Mesmo com a suspensão da pena a que está condenada, X..... vai agora recorrer da sentença para a Relação.

PORMENORES PENAS SUSPENSAS
Os 15 arguidos que foram julgados neste processo acabaram condenados a penas de prisão suspensas na execução.

SERVIÇO MARÍTIMO
O marido de X....., inspetor do SEF, foi colocado no serviço marítimo após a detenção da mulher.

JURISTA DETIDO
A última operação do SEF, em Lisboa, também levou à detenção de um advogado. Pertencia a rede que explorava sexualmente jovens nigerianas.

Miguel Curado | Correio da Manhã | 21-07-2014

Comentários (1)


Exibir/Esconder comentários
...
Credo! Estes arguidos estão desgraçados, nunca mais vão voltar a fazer o mesmo... com mais de 180.000 euros no bolso e penas de pisão suspensas... estão desgraçados!!!



Contribuinte espoliado , 22 Julho 2014 - 09:47:25 hr.

Escreva o seu comentário

reduzir | aumentar

busy

Últimos conteúdos

Com o termo do ano de 2014, cessaram as publicações de conteúdos nesta Revista Digital de 2014.Para aceder aos conteúdos...


O número de funcionários judiciais diminuiu 9,9 por cento em seis anos, enquanto os magistrados do Ministério Público au...

A partir de 1 de janeiro, os médicos vão recuperar os 20% tirados ao pagamento do trabalho extraordinário. ...

Últimos comentários

Forense Profissionais Liberais: Advogados Advogada ganha 180 mil no crime

© InVerbis | Revista Digital | 2014.

Sítios do Portal Verbo Jurídico