In Verbis


icon-doc
REVISTA DE 2014

1,15 milhões de euros só para advogados

  • PDF

Contrato de assessoria jurídica da sociedade de advogados Sérvulo & Associados com o Banco de Portugal quase duplicou de preço.

O contrato de assessoria jurídica da sociedade de advogados Sérvulo & Associados com o Banco de Portugal quase duplicou de preço, após uma alteração acordada recentemente.

Segundo a plataforma online de contratos públicos, o preço contratual passou de 650 mil euros para 1,15 milhões, o que representa um aumento de 77 por cento no valor pago à sociedade de advogados lisboeta. O contrato original foi celebrado em agosto de 2009, por ajuste direto, e tinha um prazo de execução de três anos.

O Estado já adjudicou à Sérvulo & Associados 197 contratos, num total de 10 milhões de euros. Foi a sociedade que prestou assessoria jurídica, por exemplo, no programa de reestruturação das concessões de autoestradas SCUT, em 2011.

Entre os clientes estão também a Parque Escolar, a Fundação para as Comunicações Móveis e várias Administrações de Regiões Hidrográficas. O CM contactou a sociedade de advogados, mas não obteve qualquer esclarecimento até à hora de fecho desta edição.

Manuel Jorge Bento/Tânia Laranjo | Correio da Manhã | 22-05-2014

Comentários (12)


Exibir/Esconder comentários
...
A vergonha continua...é vê-los e vê-los a comer...a sociedade do chiado é responsável "por esta crise". Não fazem advocacia...toda a gente sabe que não fazem advocacia mas cambão estatal...
Os seus advogados são meros funcionários por conta de um cabecilha expert...que criou o código administrativo...
Estes milhões dava para pagar a mta gente.
Em vez de aumentarem os impostos fiscalizem à bruta estas sociedades...
Francisco , 22 Maio 2014 - 16:19:33 hr.
...
Inacreditável como num estado de Direito, democrático ainda ocorrem estes abusos por parte de duas damas...a Sérvulo...teria vergonha de lá trabalhar face à crise instalada...e o Banco de Portugal.
Não foi a Sérvulo que deixou passar prazos?
Deve ser pelos brilhantes advogados que lá tem...um ou dois e pc mais...
Resto é vergonhoso.
Atentamente
Pereira Gonçalves , 22 Maio 2014 - 16:22:30 hr.
...
É uma vergonha as sociedades de advogados com ligações ao parlamento e empresas estatais, museus, fundações...é uma vergonha...esse milhão dava para pagar a muito advogado competente e sério.
O Sérvulo deve ter milhões...
Luis , 22 Maio 2014 - 16:25:07 hr.
...
Votar para quê? Quem manda é esta malta...
Li , 22 Maio 2014 - 16:55:51 hr.
...
Isto não são advogados, são t**********s de alto gabarito. E a Ordem muda e quieta. Esta gente há muito que não devia ter a cédula de advogado. Algum advogado pobretana que fique com uns tostões do cliente leva suspensão, mas estes, que se abotoam com milhões dos contribuintes para ajudar a desconcertar o país, estão cada vez melhor.
Maria do Ó , 22 Maio 2014 - 18:41:48 hr.
...
A srª ministra fala dos pagamentos aos advogados oficiosos, dizendo que o valor é muito elevado e, que tem de criar o defensor publico.
Então com este valor pago a uma só sociedade de advogados não dava para contratar uma serie de juristas para o banco de Portugal?
Já agora a sociedade da srª ministra recebe tb algum do estado?
advogado oficioso , 23 Maio 2014 - 09:45:51 hr.
...
Os juízes nesta matéria calam-se não entendo. Quando é para falar dos oficiosos é logo a atacar...n entendo...
Ana Gonçalves , 23 Maio 2014 - 13:47:47 hr.
...
O grande problema da questão, meu caro Senhor Ilustre Advogado oficioso, não está só nos milhões de euros. A grande questão é que a defesa que tem o arguido ou o autor, com, um Senhor Advogado oficioso, seja defensor ou patrono, são uma trêta em que o arguido ou o autor, por vezes não só não tem defesa nenhuma, como o seu Advogado ainda trabalha a favor da outra parte. E eu sei por experiência própria, o que estou a dizer e do que estou a falar. E nestes casos, os Senhores Advogados oficiosos esquecem-se, ou melhor dizendo, ignoram duas situações. Primeiro, seja muito ou seja pouco o montante pago por cada oficiosa, quando o Senhor Advogado se inscreve em aceitar oficiosas, sabe perfeitamente bem qual é o montante que lhe é pago. E se aceita, é porque aceita esses valores e tem a obrigação de defender o seu cliente ou o seu patrocinado, da mesma forma como se este lhe outorgasse uma procuração forense e pagasse do seu próprio bolso ao Senhor Advogado, os honorários e despesas. Segunda questão, o Senhor Advogado oficioso esquece-se, que neste caso os seus honorários e despesas, são pagos pelo Estado, ou seja, com o dinheiro de todos os contribuintes. E ao prejudicar o seu cliente ou o seu patrocinado, não só está intencionalmente a prejudicar este, como a burlar o próprio Estado, o que em ambos os casos constitui crime, já que, quando foi nomeado Advogado oficioso foi para defender o clientre ou o patrocinado. Estas é que são as verdadeiras questões, mas que os Senhores Advogados, por serem Senhores Ilustres, contarem o apoio dos Senhores Procuradores e dos Senhores Juízes, pretendem ignorar. E crie-se o defensor oficioso, ou mantenham-se as nomeações de Advogados oficiosos, gira-se sempre à volta da mesma questão.
Domingos dos Santos Mingacho , 23 Maio 2014 - 13:50:00 hr. | url
Será que neste caso,
...também puzeram um funcionário administrativo (ou o dos telefones) a controlar e quantificar o trabalho dos senhores advogados da Servulo prestado ao BdP, ou, mutatis mutandis, aos ministérios, como no Acesso ao Direito?

Ah... que cabeça a minha! já me esquecia que isto é outra advocacia, de alto nível, de gente inatamente séria ( basta saber as origens e percursos dos sócios séniores para assim podermos concluir com alto grau de conveniente certeza), ao mesmo nível dos senhores ministros da justiça, das finanças, etc.
São efectivamente fatos de outo pano, cosidos com outras linhas (onde também pode cair a nódoa mais imunda!!!)
Preocupado , 23 Maio 2014 - 14:48:42 hr.
Advogados de primeira e advogados de segunda
Só vem ajudar a provar que há escritórios de advogados literalmente financiados por dinheiros públicos.
Assim é fácil pagar as continhas todas ao fim do mês e ainda sobra muito para viver à fartazana.
Como já foi dito acima, tudo isto passa ao lado da Ordem dos Advogados, que não investiga UMA ÚNICA "grande" sociedade de advogados, dessas que recebem milhares de euros por ajuste directo das autarquias locais e de outros organismos e instituições públicas, quase como que por milagre.
A Ordem só persegue a arraia miúda. E é fácil explicar porquê, os proprietários dessas sociedades estão infiltrados em todos os Conselhos Distritais da Ordem, tentam controlar a advocacia a todo o custo e servem-se dos cargos para eliminar a concorrência, nomeadamente através de procedimentos disciplinares puramente artificiais, onde que participa é a mesma pessoa que acusa, quem acusa é a mesma pessoa que decide mais o resto do coro, e quem aprecia o recurso é o amigalhaço da pessoa que decidiu.
Este é o resultado natural e inevitável de uma "justiça" disciplinar entregue a colegas.
Citizen Kane , 29 Maio 2014 - 10:11:33 hr. | url
...
e ainda a ministra chora o que paga aos defensores oficiosos? francamente...
jj , 01 Junho 2014 - 12:22:14 hr. | url
...
intragável esta noticia, como é possível privilegiar sociedades de advogados, com afronta aos demais profissionais que se arrastam em esforço pelos tribunais nas pequenas oficiosas.
armando , 29 Junho 2014 - 08:26:05 hr.

Escreva o seu comentário

reduzir | aumentar

busy

Últimos conteúdos

Com o termo do ano de 2014, cessaram as publicações de conteúdos nesta Revista Digital de 2014.Para aceder aos conteúdos...


O número de funcionários judiciais diminuiu 9,9 por cento em seis anos, enquanto os magistrados do Ministério Público au...

A partir de 1 de janeiro, os médicos vão recuperar os 20% tirados ao pagamento do trabalho extraordinário. ...

Últimos comentários

Forense Profissionais Liberais: Advogados 1,15 milhões de euros só para advogados

© InVerbis | Revista Digital | 2014.

Sítios do Portal Verbo Jurídico