In Verbis


icon-doc
REVISTA DE 2014

Bastonária OA sugere referendo sobre mapa judiciário

  • PDF

A bastonária da Ordem dos Advogados, Elina Fraga, lançou, esta sexta-feira, o desafio para que se faça um referendo sobre a reorganização judiciária, uma forma de população e autarcas demonstrarem à ministra que "este mapa judiciário não serve".

"Já que está tanto na moda referendar matérias, designadamente matérias que não são referendáveis, eu faço aqui o desafio para que se recolham 75 mil assinaturas e se faça um referendo no sentido de obter o consentimento, por participação direta de todo o cidadão, se pretende ou não esta reorganização judiciária", disse Elina Fraga aos jornalistas à entrada para uma reunião com Conselho Distrital do Porto.

De acordo com a bastonária da Ordem dos Advogados, este é um desafio feito "designadamente aos autarcas que são os mais atingidos, porque vão ver os seus municípios absolutamente condenados à mais profunda desertificação".

"E, portanto, uma vez que não acredito que se queira um país sem coesão nacional, que se queira um país dividido, que se queira um país desenvolvido no litoral e subdesenvolvido no interior, eu penso que é a altura de, todos em conjunto - a ordem dos advogados, os autarcas e também a população em geral - manifestar, através do referendo, que é uma forma de exercício da democracia direta, que não concorda com esta reorganização", justificou.

Para Elina Fraga esta é, sobretudo, uma forma de "demonstrar à senhora ministra da Justiça, que tanta propaganda tem feito a este novo mapa judiciário, que ela não está certa e que este mapa judiciário não serve os interesses dos utentes da justiça".

A bastonária reiterou que a reorganização judiciária em curso "tem um impacto absolutamente brutal nas populações e no acesso à justiça".

"É uma negação de um direito fundamental do cidadão e penso que a própria população ainda não está esclarecida pensando que isto se reduz a um problema de 47 tribunais", enfatizou.

Elina Fraga reuniu-se com todos os conselhos distritais, com o objetivo analisar e discutir os encerramentos e desqualificações de Tribunais e a sua repercussão nas diversas comarcas.

"Hoje estou no Porto e espero também aqui poder mobilizar os advogados para que eles, nos círculos onde têm capacidade para intervir, consigam também demonstrar, designadamente nos municípios, o impacto negativo que esta reorganização vai ter", disse.

Jornal de Notícias | 21-02-2014

Comentários (4)


Exibir/Esconder comentários
...
Ainda vou ter saudades do MP...
acordado , 21 Fevereiro 2014 - 22:06:44 hr.
...
E que tal um referendo sobre se a sra bastonária devia continuar a palrar como tem palrado até aqui?

Palpita-me que à vista desta, o jornaleiro ainda vai ser visto como um menino do coiro... Palpita-me que a moça ainda está só a aquecer o motor...
Zeka Bumba , 24 Fevereiro 2014 - 09:36:52 hr.
...
o 25 de abril de 1974 tem destas coisas. nem sempre ouvimos o que gostamos, queremos ou consideramos correto...
assim sendo, sem analisar as declarações em causa, prefiro a liberdade de proferir enormidades do que a censura imposta por autointituladas luminárias...
ex-fp legalmente espoliado , 26 Fevereiro 2014 - 12:50:22 hr.
...
referendo para a a exclusão das provas de aferição, o que tem a ver a Sra. Bastonária com o mapa judiciário, Qual será o erro básico, a identificação com o pensamento racional ? mais tarde ou mais cedo tudo acabará por se desmoronar.
armando , 02 Março 2014 - 10:36:36 hr.

Escreva o seu comentário

reduzir | aumentar

busy

Últimos conteúdos

Com o termo do ano de 2014, cessaram as publicações de conteúdos nesta Revista Digital de 2014.Para aceder aos conteúdos...


O número de funcionários judiciais diminuiu 9,9 por cento em seis anos, enquanto os magistrados do Ministério Público au...

A partir de 1 de janeiro, os médicos vão recuperar os 20% tirados ao pagamento do trabalho extraordinário. ...

Últimos comentários

Forense Profissionais Liberais: Advogados Bastonária OA sugere referendo sobre mapa judiciário

© InVerbis | Revista Digital | 2014.

Sítios do Portal Verbo Jurídico