In Verbis


icon-doc
REVISTA DE 2014

PJ inaugura sede de 84 milhões de euros

  • PDF

Quando começou a ser construída, a nova sede da PJ chamava a atenção pelo tamanho do buraco escavado onde antes estava a escola veterinária, ao lado da atual sede, na Avenida Gomes Freire, em Lisboa. Os inspetores chamavam-lhe "o buraco das finanças da Madeira" e agora percebe-se porque é que tinha de ser tão grande.

A sede, inaugurada esta terça-feira pelo primeiro ministro, Passos Coelho, e pela ministra da Justiça, Paula Teixeira da Cruz, vai ter quatro pisos subterrâneos onde será instalado um bunker com uma sala de situação a ser usada em casos de emergência e em diligências de investigação.

"Está preparado para ficar fechado durante vários dias", precisa Pedro do Carmo, diretor nacional adjunto, que já fez as contas ao custo final da operação: "84 milhões de euros e zero de derrapagem. Zero".

No subterrâneo, será constuído ainda um parque de estacionamento com 30 postos de recarga para carros elétricos e duas carreiras de tiro, uma delas com capacidade para simular perseguições automóveis. "É a única da Europa", garante Pedro do Carmo.

O edíficio, projetado pela Saraiva & Associados, terá um total de 80 mil metros quadrados e vai acolher as diferentes unidades espalhadas por Lisboa, como a de combate à corrupção, ao terrorismo ou ao tráfico de droga. As mudanças dos efetivos e do material só termina daqui a dois meses. O laboratório terá oito vezes o tamanho do atual e vai ter novo equipamento.

A obra teve um corte de 17% e as atuais instalações, que vão continuar a albergar a PJ de Lisboa, não serão alvo de qualquer melhoramento. "Fica adiado", promete Pedro do Carmo.

Rui Gustavo | Expresso | 11-03-2014

Comentários (4)


Exibir/Esconder comentários
A diferença
A diferença de discurso do Director da PJ e do Presidente e VIce do CSM. Aquele tem um discurso defensivo da PJ, enaltecendo o trabalho da PJ e até num exercício de matemática de futurologia a defender que afinal a PJ dá lucro smilies/smiley.gif)). Já o CSM só sabe enterrar os próprios juízes ou deixá-los a queimar a lume brando na impressa como aconteceu no caso da "prescrição" em que o BdP lança um comunicado no próprio dia a defender a sua senhora e o CSM demora uma semana a dizer q vai investigar o juiz. Recomendo que o juiz visado exerça o seu direito de resposta e mande o CSM dar uma curva. Enfim.....
Pedro Silva , 12 Março 2014 - 09:26:02 hr.
...
Pedro Silva, tenha calma. Não sou dos que defende o CSM, bem pelo contrário sou muito crítico. Mas no caso, não se esqueça que o CSM não é o Vice-Presidente, nem o Presidente, nem os Vogais, mas o Plenário, que é composto por 8 juízes e 9 não juízes. Depois, não li em lado nenhum que o CSM vá investigar o juiz, mas sim que foi aberto um inquérito à SITUAÇÃO. São coisas bem diferentes.
Calma, que a precipitação não é virtude de um bom julgador.
Calma , 12 Março 2014 - 10:33:41 hr.
...
Boa Noite!

Curioso como um Estado que não tem dinheiro para viaturas, não tem dinheiro para fardamentos, não tem dinheiro para fotocópias, não tem dinheiro para dar aos OPC e aos Tribunais, encontrou 84 milhões para fazer novas instalações. Recuperaram muito dinheiro e isso pagou as obras? Os outros também, mas continuam a não ver melhorados os seus equipamentos.
Que motivação tem esta polícia para investigar suspeitas de crimes cometidos por políticos, se estes lhes oferecem o que são incapazes de dar aos outros? Afinal é tudo malta amiga. Felizmente ainda há quem perceba alguma promiscuidade e mande a GNR fazer buscas a edifícios do Governo, como em tempos aconteceu no Funchal. Será uma visão exagerada ou seria desejável menos favorecimento do Governo em relação a um OPC, que é só a principal unidade de investigação criminal.
Acredito que na altura certa o profissionalismo prevaleça, mas que é perigoso, parece ser, até pelas interpretações que suscita. Basta uma investigação correr mal (e tantas têm corrido) para todos nos lembrarmos do favor agora concedido. E lembrar-me eu que há Tribunais onde chove lá dentro.
Orlando Teixeira , 12 Março 2014 - 21:53:20 hr. | url
...
A construção da nova sede da PJ é um ato de boa gestão que permitirá por termo a diversos contratos de arrendamento extremamente onerosos, uma vez que se irão centralizar serviços dispersos por toda a cidade. Este investimento será amortizado em prazo razoável e é um raro exemplo de continuidade de projectos por governos de diferentes maiorias. Temo que se continuarem a reduzir o pessoal o edificio passe a ser demasiado grande para o efetivo.
Valmoster , 13 Março 2014 - 11:18:44 hr.

Escreva o seu comentário

reduzir | aumentar

busy

Últimos conteúdos

Com o termo do ano de 2014, cessaram as publicações de conteúdos nesta Revista Digital de 2014.Para aceder aos conteúdos...


O número de funcionários judiciais diminuiu 9,9 por cento em seis anos, enquanto os magistrados do Ministério Público au...

A partir de 1 de janeiro, os médicos vão recuperar os 20% tirados ao pagamento do trabalho extraordinário. ...

Últimos comentários

Forense Agentes Públicos Órgãos Polícia Criminal PJ inaugura sede de 84 milhões de euros

© InVerbis | Revista Digital | 2014.

Sítios do Portal Verbo Jurídico