In Verbis


icon-doc
REVISTA DE 2014

Citius deve chegar hoje a todas as comarcas

  • PDF

Quarenta e quatro dias depois do colapso do Citius que levou à paralisação dos tribunais, o Governo fecha hoje a transferência de todos os processos com a migração para Faro. No fim-de-semana decorreu a transferência de processos para as duas comarcas mais arriscadas - Lisboa e Porto - e, segundo o Ministério da Justiça, efectuou-se com sucesso. Foram transferidos (com Coimbra) 1,3 milhões de processos.

Em declarações ao Diário Económico, fonte do gabinete de Paula Teixeira da Cruz adiantou que o Citius respondeu à transferência para as comarcas de Lisboa e Porto. Com a transferência destes processos, a "casa ficou arrumada" em 22 comarcas distritais. Fica apenas a faltar uma: Faro. A migração, revelou a mesma fonte, realiza-se hoje.

A transferência comarca a comarca foi o plano B accionado pela ministra depois de ter falhado a migração a uma só vez de 3,5 milhões de processos.

O bloqueio do Citius - plataforma informática de apoio aos operadores - levou a uma situação de "caos" nos tribunais, que a ministra sempre negou, falando apenas em "transtornos". Mas tanto funcionários, como advogados e magistrados, alertaram para a quase total paralisação dos tribunais cíveis. Só as acções urgentes estavam a ser tramitadas porque os processos nunca chegaram às comarcas novas e não puderam ser distribuídos pelos juizes. Durante mais de um mês os advogados e funcionários voltaram a trabalhar em suporte papel e as peças processuais formaram pilhas nas secretarias.

Com o Citius a trabalhar e os processos acessíveis, os funcionários judiciais (que têm em curso até ao final do mês uma greve comarca a comarca) contam agora com um trabalho acrescido: incluir nos processos em formato digital todos os documentos e peças entregues nas secretarias. Um trabalho que ninguém arrisca dizer quanto tempo levará a concluir. Por isso, os juizes já avisaram que o atraso para a Justiça pode ter uma dimensão preocupante. Embora o novo Mapa Judiciário esteja no terreno, o colapso do Citius foi um grande revés para a ministra e para a sua reforma' mais importante.

Posto a funcionar o sistema, Paula Teixeira da Cruz vai abrir um processo de averiguações para apurar o que levou a plataforma informática a falhar nó" dia 1 de Setembro. Três dados estão em cima da mesa; a ministra garante que foram feitos "todos os testes", diz que lhe garantiram que tudo estava a postos e deu a entender que o que quer que tenha acontecido foi entre 26 de Agosto e 1 de Setembro. No dia 26 de Agosto o Citius foi suspenso para que começasse a operação. A ministra deixou, assim, no ar, a suspeita de sabotagem e garantiu que vai até ao fim para apurar responsabilidades.

Inês David Bastos | Diário Económico | 14-10-2014

Comentários (0)


Exibir/Esconder comentários

Escreva o seu comentário

reduzir | aumentar

busy

Últimos conteúdos

Com o termo do ano de 2014, cessaram as publicações de conteúdos nesta Revista Digital de 2014.Para aceder aos conteúdos...


O número de funcionários judiciais diminuiu 9,9 por cento em seis anos, enquanto os magistrados do Ministério Público au...

A partir de 1 de janeiro, os médicos vão recuperar os 20% tirados ao pagamento do trabalho extraordinário. ...

Últimos comentários

Atualidade Tribunais Citius deve chegar hoje a todas as comarcas

© InVerbis | Revista Digital | 2014.

Sítios do Portal Verbo Jurídico