In Verbis


icon-doc
REVISTA DE 2014

Acesso pleno a todas as funcionalidades do CITIUS assegurado

  • PDF

O Instituto de Equipamentos da Justiça anunciou que está assegurado, a partir de hoje, o "acesso pleno a todas as funcionalidades da plataforma CITIUS" que suporta a atividade dos tribunais e das novas comarcas.

Em comunicado, o Instituto de Gestão Financeira e Equipamentos da Justiça (IGFEJ) explica que a plataforma "irá conter, neste primeiro momento, todos os novos processos instaurados após 15 de setembro, apensos e demais informação associada, que seja submetida eletronicamente pelos mandatários das partes".

De igual modo, nos tribunais, os juízes, os magistrados do Ministério Público e os funcionários judiciais poderão, durante o dia de hoje, tramitar eletronicamente quaisquer peças processuais respeitantes a novos processos que não se encontrem, de alguma forma, ligados a processos anteriormente instaurados", refere o IGFEJ.

O CITIUS é um programa informático que permite a entrega em tribunal de peças processuais e de documentos por via eletrónica com assinatura digital, dispensando-se o envio de cópias em papel.

Ainda a propósito do CITIUS, que registou anomalias nos primeiros 15 dias do novo mapa judiciário, o IGFEJ adianta que, agora e adicionalmente, será possível utilizar o novo sistema para transferir eletronicamente qualquer processo anterior a 01 de setembro, e aí praticar qualquer ato sobre o mesmo.

"Ou seja, qualquer urgência ou necessidade de trabalhar sobre um processo que não esteja no novo sistema, fica salvaguardada com a possibilidade da sua transferência eletrónica para o novo sistema", garante o IGFEJ, através do seu Conselho Diretivo.

Segundo o IGFEJ, adicionalmente, qualquer informação em suporte eletrónico que seja entregue junto das Comarcas, poderá ser arquivada eletronicamente no novo sistema, para posteriormente ser associada a processos anteriores a 01 de setembro e desta forma garantir a segurança da mesma e o acesso por parte dos magistrados e funcionários judiciais.

O IGFEJ sublinha que proceder-se-á, depois, de forma gradual, conforme recomendação do Grupo de Trabalho para a Implementação da Reforma da Organização Judiciária, comarca a comarca, à integração plena de toda a informação processual anterior a 01 de setembro na nova versão da plataforma CITIUS já ajustada à nova organização judiciária.

Por último, esclarece que o procedimento utilizado para a migração salvaguardou toda a informação anterior a 01 de setembro, "sendo possível, a qualquer momento, recuperar os dados em falta, tanto mais que o CITIUS com a estrutura anterior foi prévia e integralmente salvaguardado".

As falhas do CITIUS no arranque do novo mapa judiciário e os transtornos causados nos tribunais motivaram críticas da Ordem dos Advogados, Sindicato dos Funcionários de Justiça, Sindicatos dos Oficiais de Justiça, Associação Sindical dos Juízes e Sindicato dos Magistrados do Ministério Público e levaram o PS socialista a pedir a demissão da ministra da Justiça, enquanto o PCP optou por pedir a audição urgente de Paula Teixeira da Cruz no Parlamento.

Lusa/ionline | 15-09-2014

Nota: O comunicado do IGFEJ encontra-se publicado nesta ligação.

Comentários (4)


Exibir/Esconder comentários
Humor negro
Gosto muito da frase "sendo possível, a qualquer momento, recuperar os dados em falta, tanto mais que o CITIUS com a estrutura anterior foi prévia e integralmente salvaguardado".[/b
A expressão «a qualquer momento» é de um sentido de humor negro notável.
Citiado , 15 Setembro 2014 - 20:23:53 hr.
...
É claro que todas as funcionalidades do citius estão asseguradas. Sobretudos aquelas de tipo pidesco para controlar a juizada.

Veja-se a última invenção da comunicação, pelos procuradores, sobre se o julgamento se realizou, foi adiado ou desmarcado. E da ASJP, nem um suspiro...
Zeka Bumba , 16 Setembro 2014 - 12:02:17 hr.
...
Mentira!!!
"acesso pleno a todas as funcionalidades da plataforma CITIUS" - vejam, a título de exemplo, se a distribuição electrónica está a funcionar.
Ivo , 16 Setembro 2014 - 14:40:10 hr.
...
Ivo, têm já Magistrados atribuidos?
No MP não existem magistrados, logo não existe distribuição.
alguém , 16 Setembro 2014 - 15:07:31 hr.

Escreva o seu comentário

reduzir | aumentar

busy

Últimos conteúdos

Com o termo do ano de 2014, cessaram as publicações de conteúdos nesta Revista Digital de 2014.Para aceder aos conteúdos...


O número de funcionários judiciais diminuiu 9,9 por cento em seis anos, enquanto os magistrados do Ministério Público au...

A partir de 1 de janeiro, os médicos vão recuperar os 20% tirados ao pagamento do trabalho extraordinário. ...

Últimos comentários

Atualidade Tribunais Acesso pleno a todas as funcionalidades do CITIUS assegurado

© InVerbis | Revista Digital | 2014.

Sítios do Portal Verbo Jurídico