In Verbis


icon-doc
REVISTA DE 2014

Soares: O que foi feito a Sócrates não pode passar em vão

  • PDF

O antigo Presidente da República, o histórico Mário Soares comentou, esta terça-feira, na sua coluna de opinião no Diário de Notícias, o caso polémico da detenção de José Sócrates adiantando que esta foi feita sob "um anormal aparato fortemente lesivo do segredo de justiça" e criticando o "espetáculo mediático que a comunicação social tem feito".

"Sábado o país foi confrontado com um acontecimento que deixou todos os democratas intensamente preocupados", começa por afirmar Mário Soares, esta terça-feira, na sua habitual coluna de opinião no Diário de Notícias.

"O que foi feito a um ex-primeiro-ministro com um anormal aparato fortemente lesivo do segredo de justiça não pode passar em vão. Independentemente do que está em causa e da separação de poderes entre a política e a justiça", escreve o antigo Presidente da República.

Recorde-se que José Sócrates foi detido à saída do avião, na passada sexta-feira à noite, quando aterrava no Aeroporto da Portela, diante das câmaras de uma estação de televisão, sendo que as notícias da sua detenção e das razões por detrás da mesma foram avançadas por dois meios de informação antes de ser avançado qualquer comunicado oficial.

"Não pode passar em vão o espetáculo mediático que a comunicação social tem feito, violando também ela o segredo de justiça ao revelar factos que era suposto só serem conhecidos quando um juiz se pronunciasse", sublinhou o socialista.

Notícias ao Minuto | 25-11-2014

Comentários (6)


Exibir/Esconder comentários
Porque não te calas?
Tenha vergonha sr. ex-PR.
Considero-o tão merecedor de credibilidade quanto o ex-PM. São farinha do mesmo saco, aproveitadores da rés pública, isto é, vigaristas que andaram a enganar o povo que os elegeu.
Assim, também existem "negocios" em que esteve envolvido que mereciam ter sido, em seu tempo, investigados. E não o foram.
Não significa que essa impunidade se tivesse de manter. E não se manterá, pode crer e temer. Mas para mim, nada do que diga é merecedor de consideração positiva. É lixo.
Luis , 25 Novembro 2014 - 13:26:32 hr. | url
...
Não estará na altura de prender este? Este que abusou das fundações à custa dos contribuintes...
Carlos Pacheco , 25 Novembro 2014 - 13:38:34 hr.
...
Não pode passar em vão o espetáculo mediático que a comunicação social tem feito, violando também ela o segredo de justiça ao revelar factos que era suposto só serem conhecidos quando um juiz se pronunciasse", sublinhou o socialista.

Senhor Dr. Por quem do direito e devidamente fundamentado, num dia de abril, 7 da manhã, seis zeladores da lei bateram-me à porta e apontam-me uma folha A4 onde mencionava - mandado de busca. Coloquei-os à-vontade e elas à-vontade me deixaram tratar da minha higiene pessoal. No final da operação questionei um elemento da operação que me mostrou o móbil do crime. Era um texto questionando o barulho no prédio, que faziam transparecer ser da minha autoria. E uma vez mais questionei - e porque não outro elemento do condomínio? Resposta pronta-o senhor é o único que se tem queixado contra a vizinhança.
Uma vantagem desta operação não mediática, sem TVs
Forade jogo , 25 Novembro 2014 - 13:40:01 hr.
...
A detenção foi feita «diante das câmaras de uma estação de televisão» ?

Só vi imagens televisivas no dia seguinte ao da detenção, mas como não passo muito tempo a ver televisão posso não ter visto outras imagens.
Porém, as imagens que surgiram nos jornais parecem respeitar apenas a um veículo descaracterizado que vai em andamento e é captado por uma câmara de televisão.
Ora, isto não tem nada a ver com a imagem que transmite a frase «detenção feita diante de uma câmara de televisão».
alberto ruço , 25 Novembro 2014 - 15:25:02 hr.
...
Oh Dr. Mártio Soares, desapareça.
Sepulveda , 25 Novembro 2014 - 15:53:19 hr.
...
Afinal, nem algemas houve. Mário Soares não tem vergonha nenhuma em vir para aqui dar palpites com os esqueletos que tem no armário: Contos Proibidos-Memórias de um PS desconhecido.

Contos proibidos - O livro que desapareceu do mercado escrito por um ex-companheiro de partido, de Mário Soares, Rui Mateus.

O livro, que noutra democracia europeia daria escândalo e inquérito judicial veio a público nos últimos meses do segundo mandato presidencial de Soares e foi ignorado pelos poderes da República.

As revelações de Rui Mateus sobre os negócios do Presidente Soares, em Contos Proibidos, tiveram impacto político nulo e nenhuns efeitos. Em vez de investigar práticas porventura ilícitas de um Chefe de Estado, os jornalistas preferiram crucificar o autor pela "traição" a Soares.
(…)
ARTIGO COMPLETO: http://apodrecetuga.blogspot.c...z3K6GNxDMt

(NO FINAL DESTE RESUMO ENCONTRA-SE O LIVRO com as 276 páginas, QUE FOI TOTALMENTE ERRADICADO DO MERCADO.)
Maria do Ó , 25 Novembro 2014 - 16:06:34 hr.

Escreva o seu comentário

reduzir | aumentar

busy

Últimos conteúdos

Com o termo do ano de 2014, cessaram as publicações de conteúdos nesta Revista Digital de 2014.Para aceder aos conteúdos...


O número de funcionários judiciais diminuiu 9,9 por cento em seis anos, enquanto os magistrados do Ministério Público au...

A partir de 1 de janeiro, os médicos vão recuperar os 20% tirados ao pagamento do trabalho extraordinário. ...

Últimos comentários

Atualidade Sistema Político Soares: O que foi feito a Sócrates não pode passar em vão

© InVerbis | Revista Digital | 2014.

Sítios do Portal Verbo Jurídico