In Verbis


icon-doc
REVISTA DE 2014

Utentes da ADSE pagam mais do que doentes do SNS

  • PDF

Os beneficiários da ADSE pagam um valor mais elevado por serviços de saúde específicos do que utentes do Serviço Nacional de Saúde (SNS), noticia esta segunda-feira o Jornal de Negócios, que explica que em algumas situações os funcionários púbicos são obrigados a pagar serviços na íntegra para mais tarde serem reembolsados.

Nem sempre ser funcionário público e beneficiário da ADSE é uma situação vantajosa. Segundo noticia hoje o Jornal de Negócios, em alguns serviços prestados pelo Estado este tipo de utentes chega a pagar por cuidados que para os utentes do Serviço Nacional de Saúde são gratuitos.

A título exemplificativo, explica a mesma publicação, nos serviços de ventiloterapia, cuidados de saúde associados a doentes com apneia do sono, os utentes do subsistema do Estado são obrigados a pagar na totalidade o serviço contratado para mais tarde serem reembolsados, sendo que posteriormente o valor recebido apenas atinge os 80% do valor pago.

Neste caso em particular os utentes do SNS não têm de desembolsar qualquer quantia, isto porque muitas empresas que prestam este serviço têm convenções com o SNS.

Esta situação está a gerar algum descontentamento junto dos trabalhadores do Estado que consideram que uma vez que já descontam mensalmente para um subsistema de saúde não compreendem por que razão têm de pagar por este tipo de serviços.

Notícias ao Minuto | 16-06-2014

Comentários (13)


Exibir/Esconder comentários
Em defesa do Serviço Nacional de Saúde
Utentes / beneificários do SNS e da ADSE só enterrarão o machado de guerra de uns contra os outros quando uma e a outra coisa forem o mesmo.

Enquanto houver diferenças os utentes / beneficiários destes sistemas acharão sempre que os "outros" estão mais bem servidos nisto ou naquilo sem justificação para tal.

Acabe-se com o SNS e passamos todos a ser beneficiários da ADSE - para o que se terá de mudar o nome da coisa;
ou acabe-se com a ADSE e passamos todos a ser só beneficiários do SNS.

Quem quiser poderá sempre fazer um seguro de saúde. (Não contem comigo para isso.)

Até lá é um esgrimir infrutífero de argumentos, com a consequente perda, não despicienda, de tempo e de energia intelectual - e sempre sem solução à vista que a todos satisfaça.

A multiplicação de sistemas de saúde é uma má alocação de recursos tendo em fim o objectivo a que todos estes sistemas de saúde se dirigem: a saúde de Todos os Portugueses e Portuguesas.

Quando todos estivermos protegidos ao abrigo de um único sistema de saúde todos estaremos a lutar pelo mesmo - um Sistema Nacional de Saúde de qualidade, sustentável, e igual para todos.
Porque na doença ninguém pode ser tratado de maneira diferente. Ninguém pode ser tratado melhor ou pior do que outrem em razão do género, profissão, estatuto social ou qualquer outra razão.

Entendo que todo o regime jurídico que dá abrigo à ADSE é inconstitucional, por violação do princípio da igualdade: há discriminações positivas (contra mim falo: fui positivamente discriminado, até aos 25 anos, usufruindo de certos privilégios da ADSE só por ser... filho de uma funcionária pública!) e há discriminações negativas, como se vai vendo.

Quem tem legitimidade que peça ao TC a apreciação da constitucionalidade destas normas.

Não há dinheiro? É insustentável? Então como é que há dinheiro para tanto parecer de pseudo-juristazecos para o Ministério x e y? Esse negócio dos pareceres é uma doença! Tem tratamento.

O SNS foi uma das maiores criações da III República.

O meu Obrigado a todos quantos o erigiram, servem, e serviram!
Gabriel Órfão Gonçalves , 16 Junho 2014 - 22:48:41 hr.
...
«Em 1956 ou 57, era eu Ministro da Presidência, pensei em ajudar algumas instituições mutualistas dos funcionários públicos que existiam para lhes permitir desenvolver um esquema eficaz de previdência e assistência na doença e generalizá-lo a todo o País.
Comunicado o projecto ao Ministério das Finanças, logo o chamou a si, mas convertendo-o depois na concepção de uma organização pública que substituísse essas instituições privadas. Achei ótimo e desisti da minha idéia, mas só em 1963 veio a nascer a Assistência na Doença aos Servidores do Estado (ADSE)» - Marcelo Caetano. Depoimento. Rio de Janeiro: Distribuidora Record, 1974, pág. 142.
Alberto Ruço , 17 Junho 2014 - 10:26:16 hr.
Ora Bolas!
Caríssimo Alberto Ruço!´
Obrigado pelo seu comentário!
E eu que pensava que a ADSE era uma coisa marxista engendrada pelo Álvaro Cunhal e criada pelo Vasco Gonçalves!
Mas assim está bem. Se foi criada pelo Sr .Dr. Marcelo Caetano é sem dúvida uma coisa boa!
Deve ser por isso que estes democratas esquerdistas do governo a querem destruir!
Kill Bill , 17 Junho 2014 - 13:34:26 hr.
...
Caro Gabriel

Desconto para a DSE há 31 anos. Porque obrigado, há cerca de 25, mais ou menos, pois não tenho presente de memória quando se tornou facultaiva.

Quando a ADSE chegou a preços proinitivos para quem, como eu, sou juiz e ganho um pouco mais que a generalidade da FP e se tornou facultativa, fui maturando a idéia de sair e subscrever um seguro de saúde. Entretanto, atingidos todos os limites, pedi uma proposta a uma seguradora e qual não foi o meu espanto quando percebi que pagaria menos de um terço (repito, menos de um terlo) do que pago para a ADSE para um seguro similar (doenças graves, etc.). Lamentavelmente, soube que padeço de uma doença grave e o seguro não foi aceite. Um dia, acabarão com a ADSe e eu, que me obrigaram a subscrevê-la enquanto saudável, serei mais um que andarei aos caídos pelos Hospitais públicos que porventura restem do SNS... Mas tudo isto é justo à luz dos comentadores que debitam um pouco por todo o lado nos media portugueses, pois que a ADSE é um privilégio que os portugueses do prvado não têm (outro dia, até li no i online, que é coisa do PS, que os portugueses pagavam o privilégio da ADSE aos FP, esquecendo que o governo fez desse organismo o porquinho mealheiro pelo qual nos empobrece). Mas não esquecerei e sei o que farei em 2015 (como já fiz em 2013 e 2014).



Sun Tzu , 17 Junho 2014 - 13:36:10 hr.
...
É evidente que a ADSE, coisa boa, só não acaba porque os interesses provados iriam sofrer muito.
Mas tb é certo que quem tem ADSE também paga IMPOSTOS, pelo que a ADSE não deveria ser desculpa para pagar duas vezes o SNS.
Eu, como não preciso de ADSE para a família, desisti dela, fiz um seguro de saúde e vou ao SNS sempre que posso.
Assim já não pago duas vezes para ter o SNS que a maioria dos portugueses tem porque paga impostos. Eu tb pago impostos.
ABC , 17 Junho 2014 - 13:44:06 hr.
...
Esta ansia de destruir a ADSE sempre me fez alguma confusão, talvez por não ser funcionário público.

Os beneficiários da ADSE podem recorrer a uma série de médicos e clínicas que têm convenções com a ADSE, em vez de ir para as filas do SNS.
Claro que, nalguns casos, como o relatado, pode não haver convenção com a ADSE e nesse caso, só nesse, pagam o serviço - a que recorrem como utilizadores privados - e recebem o reembolso, de acordo com tabelas eventualmente menos favoráveis.

O que o articulista omite é que um beneficiário da ADSE pode, em vez de se prevalecer do subsistema, recorrer, como qualquer cidadão contribuinte, ao Centro de Saúde, com os correspondentes incómodos sofridos - pelos relatos que se ouvem - pelos utentes do SNS e chegar à ventiloterapia - com a maquineta da apneia em casa - sem pagar nada. Ou seja, pode lá ir da mesmíssima forma que qualquer utente do SNS, sujeitando-se às mesmas condições e com os mesmos resultados. Não pagar pela maquineta da apneia.
Porque não vai e se prevalece da ADSE? Certamente porque descobre alguma vantagem nisso. Se não tem vantagem... não use.

Aliás, pelo que se vê, quem abdica da ADSE não deixa de fazer seguros de saúde - mais caros ou mais baratos depende de opções de cobertura - para ter a certeza de que não fica pendurado no SNS.

Mas eu, repito, não sou funcionário público.
Pelo que só compreendo que queiram destruir a ADSE os que não são beneficiários.
Mário Rama da Silva , 17 Junho 2014 - 23:13:48 hr.
...
Para quem tem menos de 50 anos e ganha mais de 1500 euros brutos mensais e ainda não saiu da ADSE, aqui vai o meu singelo conselho: compre urgentemente uma máquina calculadora (cinco euros em qualquer loja chinesa perto de si!).
Ai salido e estoi mucho contento , 18 Junho 2014 - 21:31:19 hr.
...
Existe outro caso em que sai mais cara a utilização da ADSE num hospital com convenção com este subsistema d saúde do que ir para o SNS. Enquanto um adulto vai a um serviço de urgência de um hospital privado com acordo e paga os mesmos cerca de 19€ que pagaria no público, uma criança, em vez de ser também gratuito até aos 12 anos como no público, paga os mesmos 19€ como se fosse um adulto. Nunca entendi isto...
Susana , 20 Junho 2014 - 06:42:06 hr. | url
Mário Rama da Silva
Mário Rama da Silva
Esqueceu o essencial: quando um benef da ADSE vai ao SNS, é a ADSE que paga!!! O que quer dizer que quem tem ADSE paga 2 vezes as suas idas ao SNS, pois também é contribuinte.
Um absurdo.
ui , 20 Junho 2014 - 16:15:44 hr.
...
Caro Ui

Não esqueci. E não paga nada duas vezes, embora seja isso que dizem os que não sabem como funcionam o SNS e os subsistemas.

Sucede que há serviços prestados pelo SNS aos beneficiários de subsistemas que são parcialmente repercutidos pelo SNS no subsistema, mas o subsistema também vai buscar ao SNS, por exemplo, as comparticipações medicamentosas.
É assim com a ADSE como é, por exemplo, com os SAMS. Um bancário é contribuinte fiscal como qualquer cidadão, podendo recorrer directamente ao SNS. Mas recorre aos serviços dos SAMS por serem melhores, mais confortáveis ou porque lhe dá na gana, porque paga para os SAMS.
Quando recorre aos SAMS paga taxas e paga parte do preço do serviço. Mas os SAMS vão buscar ao SNS aquilo que deva ser suportado pelo SNS.
Ninguém nos SAMS se lembra de dizer que paga duas vezes.
Mas o que Ui se esquece e eu não é que não é obrigado a pagar para a ADSE.
Quem pensa que paga duas vezes tem de ter uma boa explicação para o fazer, porque se o faz, porque quer e sem razão para isso... dá que pensar. Ui,ui!!

Nota final: Um muito obrigado por elevar o meu nome a título de um comentário.
Mário Rama da Silva , 20 Junho 2014 - 18:42:22 hr.
...
Boa Noite!


Fui obrigado a aderir à ADSE e exames há que pago, enquanto o SNS não paga (ex: colonoscopia com sedação). Quando telefono para marcar consulta a um médico, a senhora da recepção eprgunta-me de imediato porque sistema de saúde é. Quando digo que é a ADSE, a consulta só é possível para daí a um mês (na melhor das hipóteses) porque o Sr.Dr. está cheio de consultas. E já agora, acrescento eu, não está para trabalhar e só receber para as calendas.
Como o meu filho pertence ao SNS, constato que é melhor tratado que eu, no que respeita a consultas, tem serviços que eu não tenho (eu não posso ir à Faculdade de Medicina Dentária tratar-me com a ADSE, e ele conseguiu).
Hoje tem um seguro de saúde, mas cujas consultas são pagas e bem pagas, contabilizam para o plafond, e quando este se esgota, lá vai outra vez como SNS.
Já eu não posso aderir a um Seguro de Saúde, pois como tenho antecedentes com tumores, ou o valor é pornográfico, ou simplesmente recusam o seguro. Aliás, aqueles que têm seguro de saúde, logo que comecem a manifestar doenças recorrentes ou tumorais, de imediato vêm os prémios de seguro subir em flecha. E depois? Que vão fazer a seguir? Ou julgam que os seguros existem para perder dinheiro?
Custa-me ver tanta gente com a certeza absoluta que quem tem ADSE são uns previligiados, quando somos os únicos que pagamos para nós e para o SNS.
Tanto odiozinho de estimação não dá para perceber.
Bom fim de semana e cumprimentos
Orlando Teixeira , 20 Junho 2014 - 19:22:44 hr. | url
Mário Rama da Silva
Mário Rama da Silva

-A prova de que paga duas vezes (ou se quiser, 1 vez e meia...) é o facto de que eu, hoje, já sem ADSE, vou ao SNS e pago zero porque sou cidadão português (por acaso, contribuinte), nada recebendo o SNS por isso;
-se fosse há 1 ano atrás, quando eu ainda descontava para a ADSE, o SNS receberia da ADSE o custo da despesa (100% ou 80%...) que o SNS tivera comigo.
-ou seja, um absurdo.
-o SNS deve ser pago apenas pelos impostos (e taxas moderadoras). Nada mais: nem por SAMS, ADSE, etc., porque quem tem ADSE ou SAMS, etc., tb paga impostos.
ABC , 20 Junho 2014 - 20:01:09 hr.
...
Caro ABC

Como vê, não paga duas vezes. Aliás, no seu caso parece que - se paga zero - nem sequer paga as taxas moderadoras dos serviços o que é admirável. Certamente é isento.
Eu, se for a uma consulta ou fizer uma radiografia num hospital público pago. Pouco mas pago. E o SNS não vai buscai isso a lado nenhum. Se eu fosse beneficiário da ADSE o hospital ia buscar à ADSE quanto? Talvez seja bom informar-se.

Em todo o caso, quem paga duas vezes (admitindo isso) ou é parvo ou algum benefício obtem
Mário Rama da Silva , 20 Junho 2014 - 22:44:17 hr.

Escreva o seu comentário

reduzir | aumentar

busy

Últimos conteúdos

Com o termo do ano de 2014, cessaram as publicações de conteúdos nesta Revista Digital de 2014.Para aceder aos conteúdos...


O número de funcionários judiciais diminuiu 9,9 por cento em seis anos, enquanto os magistrados do Ministério Público au...

A partir de 1 de janeiro, os médicos vão recuperar os 20% tirados ao pagamento do trabalho extraordinário. ...

Últimos comentários

Atualidade Direito e Sociedade Utentes da ADSE pagam mais do que doentes do SNS

© InVerbis | Revista Digital | 2014.

Sítios do Portal Verbo Jurídico