In Verbis


icon-doc
REVISTA DE 2012

1454 nomeados do Governo receberam subsídio de férias

  • PDF

O Executivo de Passos Coelho dizia que apenas 233 pessoas recrutadas pelo Governo PSD-CDS tinham recebido subsídio de férias. Afinal, foram 1454 as excepções à austeridade.

O PS já obteve do gabinete de Pedro Passos Coelho os números totais dos nomeados desta legislatura para funções públicas que receberam subsídio de férias em 2012. Primeiro disse 233. Depois retificou: afinal são 1323.

Há novos dados sobre o número de pessoas nomeadas pelo atual Governo que receberam subsídios de férias em 2012 - ao contrário do que aconteceu com a generalidade da função pública, por via do Orçamento do Estado.

O número é mais de dez vezes superior ao que foi revelado em setembro último. Aos 131 assessores de gabinetes ministeriais admitidos então pelo Governo somam-se agora, segundo informação oficial enviada ao PS, 1323 nomeados para outras entidades do Estado (institutos, etc.).

Assim, o total dos "boys" que beneficiaram desta exceção ao cumprimento do OE 2012 ascende a 1454. Um número equivalente a cerca de um terço do número total de nomeações governamentais (3511, segundo um recenseamento que o PS tem vindo a fazer e que não inclui, por ausência de dados oficiais, as nomeações no Ministério da Solidariedade e da Segurança Social).


Governo diz que todos subsídios foram pagos legalmente

O Governo garantiu hoje que "nenhum elemento de gabinetes de membros do Governo ou trabalhador da Administração Pública" com remuneração base superior a 1100 euros recebeu subsídio de férias relativo a 2012.

Em comunicado emitido pelo gabinete do primeiro-ministro, o executivo esclareceu que "foram processados a 1323 trabalhadores da Administração Pública direta e indireta ingressados em 2011 os proporcionais de subsídios de férias vencidos nesse ano" (2011), num total de cerca de 591 mil euros.

O comunicado salienta que destes 1323 trabalhadores, 1231 são "admissões no âmbito do Ministério da Defesa Nacional e das Forças Armadas", considerando "inadmissível o rótulo de 'boys'".

"Após a entrada em vigor da Lei do Orçamento de Estado de 2012, nenhum elemento de gabinetes de membros do Governo ou trabalhador da Administração Pública com remuneração base superior a 1100 euros recebeu subsídio de férias relativo ao ano em curso (...)", pode ler-se no comunicado.

Sob o título "quase 1500 "boys" receberam subsídio de férias este ano", o DN noticia hoje que o "número de pessoas que receberam subsídios de férias em 2012" é "mais de dez vezes superior ao que foi revelado em setembro último" - "aos 131 assessores de gabinetes ministeriais admitidos então pelo governo somam-se agora, segundo informação oficial enviada ao PS, 1323 nomeados para outras entidades do Estado, pode ler-se.

O PS já considerou hoje "imoral" o pagamento de subsídios de férias no ano passado a 1.500 pessoas nomeadas para cargos públicos, acrescentando que o Governo perdeu a legitimidade para pedir sacrifícios.

"É imoral, não tem precedentes no momento tão difícil que vivemos e é tratar os portugueses de forma diferente. O Governo protege os seus e corta a todos os outros", disse o deputado José Junqueiro, em declarações aos jornalistas na sede do PS, em Lisboa.

Diário de Notícias | 16-11-2012


Subsídios pagos a mais de 100 mil

No total de toda a Administração Pública, houve afinal 102.682 pessoas que, ao abrigo da lei, receberam subsídios de férias no montante global de 38.167.432,63 euros:

- 131 pessoas de gabinetes de membros do Governo receberam as parcelas correspondentes aos subsídios de férias vencidos em 2011, no montante total de 173.902,70 euros;

- 40 funcionários desses mesmos gabinetes receberam um total de 10.030,62 euros em subsídios de férias por terem remuneração base inferior a 1100 euros;

- 5.980 trabalhadores que cessaram funções na Administração Pública levaram a que fossem processadas verbas correspondentes a subsídios de férias referentes a acertos no total de 4.641.035,73 euros;

- 95.208 funcionários públicos com remuneração-base até 1100 euros tiveram direito a subsídios de férias no valor global de 32.750.968,22 euros

- 1323 trabalhadores da Administração Pública direta e indireta ingressados em 2011 receberam um total de 591.495,36 euros referentes aos proporcionais de subsídios de férias vencidos nesse ano.

Visão | 16-11-2012


Comentários (3)


Exibir/Esconder comentários
... , Comentário com excessivos votos negativos [Mostrar]
...
Fazer contas não é com o governo.... Ou então comem muito queijo
Zeka Bumba , 16 Novembro 2012
...
Pois eu trabalho para o Estado desde 1986 e nada recebi...
Jesse James , 17 Novembro 2012

Escreva o seu comentário

reduzir | aumentar

busy

Últimos conteúdos

A estrutura da InVerbis está organizada por anos e classificada nos correspondentes directórios.Os conteúdos publicado...

O Estado assumiu, através da empresa pública Parvalorem, a dívida de quase 10 milhões de euros de duas empresas de Vítor...

Dos 118 homicídios cometidos em 2012, 63 tiveram familiares como protagonistas • Cinco pais e 18 padrastos detidos por a...

Pedro Lomba - Na primeira metade do ano o ajustamento negociado com a troika correu dentro do normal e expectável. Mas d...

Últimos comentários

Tradução automática

Atualidade Sistema Político 1454 nomeados do Governo receberam subsídio de férias

© InVerbis | 2012 | ISSN 2182-3138 

Sítios do Portal Verbo Jurídico