In Verbis


icon-doc
REVISTA DE 2012

FMI e UE querem semana de trabalho de 6 dias

  • PDF

A "troika" sugeriu ao Governo de Atenas a flexibilização das relações laborais através de diversas medidas, onde se inclui o aumento da semana de trabalho de cinco para seis dias.

A informação está inserida numa mensagem de correio eletrónico enviado por representantes da "troika" - Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional - aos ministérios gregos das Finanças e do Trabalho, e que foi hoje divulgado pelo diário económico "Imerisia".

A autenticidade do e-mail e do seu conteúdo foi confirmada à agência noticiosa Efe por uma fonte do ministério das Finanças, que não revelou mais detalhes.

Entre as propostas mais polémicas incluiu-se o aumento da semana laboral para seis dias e a redução para 11 horas do descanso mínimo entre turnos de trabalho, para além da eliminação das restrições às trocas dos turnos da manhã e de tarde, de acordo com as necessidades do empregador, precisa o diário "Imerisia".

A "troika" exige ainda a redução para metade da indemnização por despedimento e do prazo de que dispõe o empresário para notificar a rescisão do contrato.

Pretende ainda que seja diminuída a contribuição das empresas para o Fundo de Segurança Social, apesar da crescente diminuição das receitas do Estado neste setor.

"Não são propostas novas, a 'troika' leva sempre algum tempo a formulá-las. Mas de momento são apenas propostas, não significa que sejam aceites pelo Governo grego", disse à Efe uma fonte ministerial.

Os inspetores dos credores internacionais encontram-se em Atenas desde a semana passada, e na sexta-feira são separados os chefes da missão para negociar com o executivo de coligação de Antonis Samaras o novo plano de cortes orçamentais.

A aprovação das novas medidas, que estão a ser discutidas pelo Governo, é considerada decisiva para a concessão de uma nova fatia de 31 mil milhões de euros, provenientes do segundo memorando de entendimento negociado com Atenas em fevereiro passado.

Lusa/DN | 03-09-2012

Comentários (4)


Exibir/Esconder comentários
...
Com um bocadinho de jeito ainda põem o pessoal a trabalhar 23 horas dia, 8 dias por semana.
Franclim Sénior , 04 Setembro 2012
Ao que se chegou
Um destes dias, em resultado deste c_hupar de tutano, a malta irá revoltar-se. E já tarda...
, 04 Setembro 2012
...
Mas tocar nas PPP, na Banca, nas rendas do sector energético, ou nas assessorias milionárias é que não.

E isto para já não falar numa das causas do problema: a falta da reforma do sistema político (corrupto e capturado pelos partidos e pelas suas clientelas).
disse , 04 Setembro 2012 | url
...
A História tem os seus "quê", pejados de ironia...
Quem está em condições de decidir em cada momento, acaba sempre por ceder à ganância, e depois acaba sempre por perder! Será possível tanta burrice?! smilies/angry.gifsmilies/angry.gif
Quid Juris? , 04 Setembro 2012

Escreva o seu comentário

reduzir | aumentar

busy

Últimos conteúdos

A estrutura da InVerbis está organizada por anos e classificada nos correspondentes directórios.Os conteúdos publicado...

O Estado assumiu, através da empresa pública Parvalorem, a dívida de quase 10 milhões de euros de duas empresas de Vítor...

Dos 118 homicídios cometidos em 2012, 63 tiveram familiares como protagonistas • Cinco pais e 18 padrastos detidos por a...

Pedro Lomba - Na primeira metade do ano o ajustamento negociado com a troika correu dentro do normal e expectável. Mas d...

Últimos comentários

Tradução automática

Atualidade Sistema Político FMI e UE querem semana de trabalho de 6 dias

© InVerbis | 2012 | ISSN 2182-3138 

Sítios do Portal Verbo Jurídico