In Verbis


icon-doc
REVISTA DE 2012

Ameaças a Soares no Fórum GNR não vão ser investigadas

  • PDF

Juristas desvalorizam críticas na internet ao comportamento do ex-presidente da República. São "desabafos". Nem a GNR nem a PGR vão abrir inquérito

A Procuradoria-Geral da República "não recebeu qualquer queixa" nem vai abrir "qualquer inquérito" a propósito das críticas e ameaças que têm surgido no Fórum GNR – um fórum de discussão aberto na Iinternet – ao ex-presidente da República Mário Soares. As observações, que incluem uma alusão a dar tiros no conhecido político, surgiram na sequência das notícias que deram conta de que Soares teria sido apanhado, na semana passada, em excesso de velocidade num carro do Estado, quando circulava com motorista na A8.

A GNR também não tenciona avançar com um inquérito para apurar se os tais insultos publicados na internet poderiam dar azo ou não a um inquérito disciplinar por violação do código deontológico. Ao i , a GNR explica que só avançaria para investigações se em algum momento se apercebesse de que os comentários "punham em causa a segurança nacional ou a tranquilidade pública" ou os mesmos "revelassem procedimentos reservados da GNR". Para já, a GNR reage aos comentários dizendo que o fórum não é daquela força de segurança "nem reflecte nos seus conteúdos o sentimento da GNR".

Dentro da GNR, ao que o i apurou, não se descarta a hipótese de os comentários que falam da arrogância de Mário Soares ou o tratam por "bochechas" terem mesmo sido escritos por militares. Mas reina a dúvida, uma vez que o fórum – ao contrário de outro ligado à antiga brigada de trânsito – permite em qualquer pessoa se registe e escreva sob anonimato, recorrendo a um nickname.

Os comentários no Fórum GNR, espaço da internet em que desde 2006 os militares podem trocar informações, saltaram para a página do Tugaleaks – repositório de informações online inspirado no Wikileaks -, com o pretexto de que haveria militares da GNR a ameaçar "de morte" o antigo Presidente da República. Entre várias páginas de comentários à notícia de que Soares seguia no carro a 199 km/hora – carro esse a que tem direito como ex-chefe de Estado -, o Tugaleaks seleccionou um comentário que associou a "uma clara ameaça" ao ex-Presidente da República. Nessa crítica, feita por alguém que se identificou como "2.o sargento 387 Silva", lê-se: "Mal empregadas 30 munições que gastei hoje na carreira de tiro... disparadas noutra direcção faziam bastante jeito ao país."

Apesar de o visado ser um ex-chefe de Estado, nenhum dos juristas contactados pelo i entende haver razões para abrir um inquérito-crime. Para o advogado Carlos Pinto de Abreu está fora de questão que essas afirmações representem crime de ameaça. "É uma questão de liberdade de expressão. Todos têm direito à indignação." O advogado lembra ainda que Mário Soares é um cidadão "como qualquer outro, sujeito a críticas como qualquer outro".

Também Marinho Pinto considera que as declarações "não têm relevância nenhuma". E só poderiam ser consideradas ameaças "se fossem suficientemente sérias para alterar um modo de vida" ou se provocassem "medo ou inquietação". O bastonário da Ordem dos Advogados chama-se a si próprio como exemplo e usa a ironia: "Se isso fosse motivo para instaurar um processo, também eu já teria instaurado mais de mil."

Do lado dos juízes a opinião não muda. Mouraz Lopes, presidente da Associação Sindical dos Juízes Portugueses (ASJP), tem outra expressão para os comentários contra Soares. Não consegue olhar para eles como ameaças, mas apenas como "estados de alma". "Para haver ameaça tem de haver um mal iminente. Um desabafo é um simples desabafo."

ionline | 10-04-2012

Comentários (14)


Exibir/Esconder comentários
...
E o Dr. Soares vai ser investigado, como co-autor da contra-ordenação, como instigador?
Pois , 10 Abril 2012 | url
...
Vá lá, a patetada não vai por diante!
Zeka Bumba , 10 Abril 2012
"jurisprudência" ?
Caro Zeca Bumba:
Espero que seja da mesma opinião quando em qualquer outro forum um pateta anónimo escrever que vai dar uns tiros nos C***** a um qualquer cabo da GNR! ou ao primeiro ministro, ou ao Sr. Silva ou ao juíz que o condenou!
Ao fim e ao cabo, são apenas patetadas não?
Pedro Só , 10 Abril 2012
Direito à indignação
Para o advogado Carlos Pinto de Abreu está fora de questão que essas afirmações representem crime de ameaça. "É uma questão de liberdade de expressão. Todos têm direito à indignação." O advogado lembra ainda que Mário Soares é um cidadão "como qualquer outro, sujeito a críticas como qualquer outro".

A minha indignação, prestou-se no de ter enviado um mail de despedida aos camaradas relatando a minha indisponibilidade de continuar no exercicio de funções não servindo de cobaia de incompetentes. Tal atitude valeu-me um processo disciplinar que originou 1 ano de inatividade profissional e ainda em Tribunal, valeu-me a pena de multa de 150 dias a 10€, mais 1000€ de idemnização a um pseudo-ofendido
iNDIGNADO DE 1ª , 10 Abril 2012 | url
stress
Caro Indignado:
O meu caro merece o direito á aposentação se assim o desejar.
Na minha opinião sofre de stress pos-traumático. provovado por "Mobbing" (assédio moral no trabalho)
Eu se fosse a si intentava uma acção judicial. E ia até aos tribunais EUROPEUS se necessário fosse.
pedro Só , 10 Abril 2012
...
Pedro Só, o que tem uma coisa a ver com a outra? Ou como se diz na minha terra, o que é que o [as letras do simbolo químico do cobre] tem a ver com as calças?

Bem me parecia...
Zeka Bumba , 10 Abril 2012
!!!!
Ó meu caro Zeca!!!
Que raio de pergunta é essa? Ameaçar a coberto de um nick, num forum o Mário Soares de levar um tiro é assim tão diferente de um seu suposto condenado o ameçar a si da mesmissima coisa? !!!
CHIÇA!!!
Liberdade de expressão de SENTIDO ÚNICO ! É???
Ou já um tipo que se considera injustiçado não pode DESABAFAR A SUA INDIGNAÇÃO? ??
Bem me parecia...
pedro Só , 10 Abril 2012
...
Ó Pedro Só, leia antes e fale depois. Ou leia outra vez para interpretar melhor.

Dizer que "Mal empregadas 30 munições que gastei hoje na carreira de tiro... disparadas noutra direcção faziam bastante jeito ao país." é ameaçar alguém? E o visado ficou ou ficaria com medo de uma afirmação destas?

A menos que estejamos os dois a ler em idiomas diferentes (eu em português e o meu caro em pretuguês)...

Zeka Bumba , 10 Abril 2012
Opinião!
A meu ver, uma ameaça presencial é capaz de criar um verdadeiro medo e inquietação, susceptíveis de nos sentirmos prejudicados na nossa liberdade. Agora, um desabafo de um Português cansado de situações embaraçosas, virtual e supostamente inidentificável não me parece ser de criar uma inquietação tal que mereça credibilidade... Foi um desabafo!
Não se pode/deve desviar a atenção do verdadeiro crime e tão grave quanto o mesmo, da "suposta" atitude de uma pessoa que deverá ser sempre um exemplo pelo que já representou neste país.
Cumprimentos!
Iuris-et-de-iure , 10 Abril 2012
...
Com todo o respeito pelas opiniões que antecedem, sugiro o seguinte: o sr Soares que conduza o seu carro ou contrate e pague um motorista. O segurança / motorista, o carrinho e a reforma abusiva voltem ao Povo, a quem pertencem... Chega de mordomias tolas, próprias de 4.º mundo!
Sun Tzu , 10 Abril 2012
José Pedro Faria (Jurista) - Vale tudo?
Ponto prévio:

O comportamento político de Mário Soares ao longo dos anos, merece-me importantes críticas, designadamente no que respeita ao período em que foi primeiro-ministro. Também a péssima postura cívica, a arrogância, que tem demonstrado ao longo dos anos, em diversas situações, é completamente lamentável. Nunca nele votei, nem nunca tal disparate me passou pela cabeça.

Posto isto, e assim colocado em insuspeita posição, devo dizer que, ao contrário de tantos brilhantes juristas que sobre este assunto se pronunciaram, tenho mui sérias e fundadas dúvidas sobre a bondade das teses que têm sido ouvidas.

Na minha perspetiva a frase "[m]al empregadas 30 munições que gastei hoje na carreira de tiro... disparadas noutra direção faziam bastante jeito ao país", não pode ser considerada inocente. Duvido mesmo que, se alguém aqui escrevesse frase semelhante, dirigida a outro comentador ou a qualquer outra pessoa, o Sr. Administrador a deixasse passar, atentas as regras e termos de publicação, a menos que se comprovasse o seu caráter inocente, irónico ou jocoso, designadamente, e tendo em conta o contexto em que tivesse sido proferida. Ora, nada no comentário em causa permite antever, à partida, que se trata de um mero desabafo.

Dizer que gastar 30 balas numa carreira de tiro é um desperdício já que as mesmas deveriam ter sido disparadas sobre um ser humano é um mero desabafo? É um exercício legítimo da liberdade de expressão? Não me parece. E não venham dizer-me que "a outra direção" era o areal do Guincho...

A menos que, consideremos que nos encontramos num clima pré-revolucionário (cujas virtudes aqui não discutirei), que tornem aceitável qualquer coisa que se diga ou faça. Na verdade, os constantes atropelos à Constituição (com o beneplácito daqueles que deveriam ser os seus guardiões - os senhores do chamado "Tribunal" Constitucional) parecem, de facto, indiciar a existência de um "vale tudo" próprio das revoluções. Com esse fundamento, aí sim, eu já aceitaria a tese contrária.
José Pedro Faria (Jurista) , 11 Abril 2012
...
Concordo com o Pois será que o Ex-PR irá ser investigado como co-autor da contra-ordenação, como instigador?

O comportamento do ex-PR quando tratou mal os militares da GNR que mandaram parar a viatua em que seguia a alta velocidade, será alvo de algum inquérito criminal para se apurar se injuriou/difamou /coagio OPC's no pelno exercio da sua função???
Sauer , 11 Abril 2012
...
está tudo doido?!
se eu disser aqui que um bom político é um político morto, estou a ameaçar aguém?
se eu disser aqui que as marteladas que dei nuns pregos teriam sido melhor dirigidas se à cabeça do primeiro-ministro, estou a ameaçar o dito?
já agora, também deve ser um crime de difamação dizer que MS sempre se serviu do Estado em vez de o servir... (e dele continua a servir-se)
isto está a ficar pidesco!
Pois , 11 Abril 2012 | url
...
Afinal fico ganhar. A minha casa foi abalroada às 7 da manhã por meia-dúzia de PSP que me levaram um computador e um equipamento que desconheciam a sua utilidade (medidor de ruído), devolvidos ao fim de 1 ano, por falta de provas no crime, com mandado de busca. Os motivos: anos a fio as autoridades policiais e judiciárias não foram capazes de fazer calar uns vizinhos pobres de espírito- o chamado ruído da vizinhança. 12 anos depois, escrevera apenas isto: um dia estas autoridades poderão vir a ser corresponsabilizadas pela incompetência de atuação. Crime imputado: crime por ameaças
Safado , 11 Abril 2012 | url

Escreva o seu comentário

reduzir | aumentar

busy

Últimos conteúdos

A estrutura da InVerbis está organizada por anos e classificada nos correspondentes directórios.Os conteúdos publicado...

O Estado assumiu, através da empresa pública Parvalorem, a dívida de quase 10 milhões de euros de duas empresas de Vítor...

Dos 118 homicídios cometidos em 2012, 63 tiveram familiares como protagonistas • Cinco pais e 18 padrastos detidos por a...

Pedro Lomba - Na primeira metade do ano o ajustamento negociado com a troika correu dentro do normal e expectável. Mas d...

Últimos comentários

Tradução automática

Forense Agentes Públicos Órgãos Polícia Criminal Ameaças a Soares no Fórum GNR não vão ser investigadas

© InVerbis | 2012 | ISSN 2182-3138 

Sítios do Portal Verbo Jurídico