In Verbis


icon-doc
REVISTA DE 2012

A justiça é determinada pelos políticos e não pelos juízes

  • PDF


RTP Informação, Última Palavra | 08-11-2012

Excertos da entrevista do Prof. Eduardo Vera Cruz, Diretor da Faculdade de Direito de Lisboa, ao programa "Última Palavra", RTP Informação, 2012-11-08

Comentários (24)


Exibir/Esconder comentários
Clareza
Que maravilha. Nenhum político consegue ter a clareza discursiva que demonstra este professor de leis.Não há que estranhar... É a vida!
Francisco do Torrão , 14 Novembro 2012
...
Não respondeu há perda de independência por causa da forte redução salarial.
Ele quer lá saber disso para alguma coisa .....
Ai Ai , 14 Novembro 2012
...
O Prof. Vera Cruz com o seu habitual brilhantismo. Homens como este escasseiam em Portugal.

É atentar no seu grande desempenho como vogal do CSM (E É DOS NOMEADOS PELO PODER POLÍTICO!) em prol da dignificação da judicatura.

Subscrevo tudo o que disse.

P.S. Naquela tirada certeira em que "dá" nos advogados, fico contente de não ser o único a afirmá-lo.
Zeka Bumba , 14 Novembro 2012
Gostei de ouvir
o actual Director da minha Faculdade.
Subscrevo quase na íntegra.

Caro Zeka Bumba,

A tirada aos advogados é outro chavão simplista que circula e que eu não estranho que você utilize.

O advogado é mandatado para exercer o contraditório e defender os interesses do cliente dentro dos limites da lei. Não para agradar aos juízes, à parte contrária ou a funcionários judiciais.
E se a lei torna favorável a litigância e o protelarlamento dos deveres das partes, dê o seu contributo e inicie uma petição pública para alterar a lei de modo a não compensar.
Troika-tudo , 15 Novembro 2012
...
Haja alguém que responde de uma vez a certos comentadores que em nada abonam a favor da sua classe.

Subscrevo na íntegra o comentarista Troika-Tudo...
Carlos , 15 Novembro 2012
...
muito bem.
há que ir repetindo esta frase.
rockenfeller/rotenschild/goldman.sachs(nomes originais alemaes hebreus) , 15 Novembro 2012
...
Zeka está na altura de ir aprendendo...veja o comentário do troka tudo...esclarece-o bem...

Um bocadinho de humildade exige-se...
Maria , 15 Novembro 2012
...
Claro Troka Tudo,

Por esse seu princípio, no dia em que o legislador despenalizasse o homicídio, toda a gente poderia matar e quem achasse mal, que desseo seu contributo e iniciasse uma petição pública para alterar a lei de modo a não se poder matar.

Mas que bela filosofia do vale tudo esta sua. Maravilhosa.
Zeka Bumba , 15 Novembro 2012
...
Só mais uma coisa, Troika tudo

A chicana processual (que é essa e não o exercício do patrocínio com escupuloso respeito da lei que "incomodam" os juízes, a parte contrária ou os funcionários judiciais), apesar de indolentemente tolerada, é proibida por lei (arts. 7.º nºs 4 e 8 do RCP, 130 nº 3, 447 B, 266, 266 A, 456, 459, 650 nº 2, e) e 720 do CPC, 17 nº 4 do dl 269/98, 323 al. g),326, 340 nº 4 als a) e c), 420, 221 nº 4, 277º nº 5 e 45 nº 7 do CPP e 359 e 360 do cod penal).

Daí que, por ora, não valha tudo e a lei que temos, desde que os seus instrumentos sejam bem usados (desde logo pondo cobro a expedientes, requerimentos asnáticos e partes e testemunhas mentirosas), pode ter a certeza de que os direitos do cliente do advogado serão devidamente prosseguidos dentro dos limites da lei (da que existe realmente e não na ideia do advogado e do cliente).


E nesse aspeto, falo por mim.
Zeka Bumba , 15 Novembro 2012
...
Maria,

Eu aprendo sempre (e estou disposto a fazê-lo)...mas com quem saiba tanto ou mais do que eu e não com um qualquer.

A, e que eu saiba, é proibido aos advogados advogarem contra o direito (onde se inclui o abuso de meios processuais legalmente previstos).

Por isso, convosco, nada tenho a aprender.
Zeka Bumba , 15 Novembro 2012
...
Há muto que digo, por aqui mas também por outros lados: os advogados / políticos são os grandes responsáveis pelo estado a que a justiça chegou no nosso País. Por mim, com Códigos simples, perceptíveis por todos, isto andava direitinho, ai andava, andava! Não haveria era recursos de pura chicana para todo o lado, mormente para o Tribunal deles (designado por Constitucional). O resto, é boa educação que nós vamos manifestando, mas que já começa a cheirar mal.
Jesse James , 15 Novembro 2012
...
Zeka, tem todo o direito de dizer isso, tal como há advogados e outras áreas que em nada tem a aprender com você.

Eu acho que temos sempre a aprender qq coisa.

Caro Jesse James que faz essas Leis? São os amigos e lobbies das sociedades de advogados que minam a lei para obterem contrapartidas...
Maria , 15 Novembro 2012
...
Maria,

Eu tb não fazia ideia de lhes ensinar o que quer que seja, logo, a bon entendeur...
Zeka Bumba , 15 Novembro 2012
...
I os despois !?
Ai Ai , 16 Novembro 2012
...
Sim Zeka, quem escreve como você, leve-me a pensar que o que iria aprender seria nulo...

Para bom entendedor....
Maria , 16 Novembro 2012
...
Caro Troika-tudo: de facto, tenho de admitir que a sua perspectiva sobre o que é o trabalho de um advogado é irrefutável. Em resumo, It's a dirty job, but someone's got to do it. Pela minha parte, seria incapaz de ganhar a vida num métier onde o lema é: "que se lixe o que é justo, que se lixe o certo e o errado, que se lixe a honestidade intelectual, o que interessa é que o meu cliente se safe". Mas isso sou eu, um tipo antiquado que ainda liga a essas tolices. Mas não se amofine com este meu desabafo, Troika-tudo: este mundo é seu e dos seus... nós, os antiquados, apenas vamos por cá sobrevivendo.
Juiz de Direito , 16 Novembro 2012
...
Olhe Maria,

Leia o que disse o comentador Juiz de Direito. Conseguiu sintetizar com maestria aquele que é o meu pensamento.

De facto, nem os advogados conseguem/querem aprender com os juízes (pois os conhecimentos seriam "nulos" para o exercício da advocacia tal como se exerce nos dias de hoje neste país) nem os juízes querem aprender com os advogados (pois em vez de formação, apenas obteriam deformação).

Zeka Bumba , 16 Novembro 2012
...
-quanto à advocacia, é pacífico que inclui fazer esquemas para fugir à legalidade!
-se assim não fosse, nenhum advogado enriqueceria. O resto são tretas...
-nenhum advogado honesto e respeitador das leis (fiscais incluídas) enriquece!!!
ABC , 17 Novembro 2012
!!!
Exmo Sr. Administrador,
As minhas panitências pela extensão do texto.

Não tinha intenção de responder ao ZeKa Bumba, mas como parece que as minhas palavras estão a ser levadas ao absurdo, vejo-me obrigado a responder.
O motivo do meu “post” prende-se com a forma persistente como certos comentadores, auto-intitulados de juízes ( mas que estão a muitas milhas do comportamento de um verdadeiro juiz de direito) pretendem atingir a dignidade profissional dos advogados.
Para tal descem ao nível mais básico. E nem sequer são originais, porque desde o trolha que nunca olhou direito para a tabuada a alguns pseudo intelectuais do canal Q, já muitos dizem a mesma coisa.

Para o Zeka Bumba qualquer advogado que lhe leve algum trabalho é logo um mau profissional; um advogado que explora os clientes (desconhece que quem explora o cliente normalmente só o faz uma vez, e esse cliente leva 5 ou 6 potenciais clientes com ele), um advogado que litiga contra lei expressa, que ao alegar faz chicana ( seja lá o que isso for…) etc, etc. Conhece, mas não quer reconhecer, outra coisa simples: mesmo o pior homicida tem direito a uma boa defesa. E um advogado digno desse nome dará o melhor de si para lha proporcionar, no sentido de se apurarem os factos relevantes e a verdade material, e consequentemente, lhe ser aplicada a pena mais justa.
Essa incompreensão costumo ouvi-la de gente iletrada do povo, nunca a ouvi de um juíz digno.

Na sala de audiências do Zeka Bumba os advogados estarão sempre a mais: a parte vai lá pessoalmente, reduz-se à sua insignificância perante tão sábia e autosuficiente figura, de chapéu na mão, verga-se e de forma humilde e voz embargada conta a sua história e pede justiça. Ele olha para a cara do homem, faz o seu palpite, pega na tabela que já trouxe de casa e escolhe uma pena. Ou nega-lhe o seu direito porque não se vergou suficiente e respeitosamente. Voila!

Oh Zeka Bumba, confesse lá: o que lhe aconteceu depois de (supostamente) tirar o (mesmo) curso que nós advogados para nos encarar a todos desta forma? Um dia tem de esclarecer devidamente o “auditário” sobre esse trauma persistente. Tem alguma coisa a ver com o Marinho Pinto?


Meu caro “Juiz de Direito”:
Não acha que exagerou na sua caracterização absurda?
Conseguiu “ver” a minha prática profissional e o meu pensamento pessoal em tão curto texto?
Ou ficou desiludido porque pensava que quando um avogado se dirige ao tribunal era para visitar o juíz ?
Depois, talvez eu seja mais “antiquado” que o meu caro. Cresci e aprendi numa zona e num tempo em que os negócios se faziam com um aperto de mão e nunca havia recurso à execução específica.
O seu tiro saíu completamente ao lado e nem se notou. E, acredite, eu teria ficado preocupado comigo mesmo se se tivesse aproximado da realidade, Assim, com todo o respeito, não vou dispender mais tempo.

Troika-tudo , 17 Novembro 2012
...
troika-tudo

tudo isso é bonito, mas é fantasia ou cinismo.
a advocacia é necessária, obviamente, mas nada tem a ver com o facto de o advogado respeitar as leis, fiscais incluídas.
repito - nenhum advogado enriquece, como advogado, sem aldrabar a lei, como o povo bem diz e bem sabe. o resto são floreados...
ABC , 17 Novembro 2012
...
"mesmo o pior homicida tem direito a uma boa defesa. E um advogado digno desse nome dará o melhor de si para lha proporcionar, no sentido de se apurarem os factos relevantes e a verdade material, e consequentemente, lhe ser aplicada a pena mais justa. ".

E esse dar o melhor de si inclui "comprar" restemunhas, achincalhar ou intimidar testemunhas "inconvenientes" que até estão a dizer a verdade, mas o "I" adovgado atira-se a elas como um buldogue enfurecido?
E usar de todos os esquemas sujos para obter as nulidadezinhas das provas que não convém porque "entalam"o cliente (reonhecimentos, escutas, buscas)?

Bem me parecia que sim.

E se só gente iletrada do povo é que as canta aos/dos advogados? Às tantas ér porque essas pessoas, apesar de iletradas, são pessoas decentes a quem repugna a vigarice, a intrujice, a usura, a cupidez.

No resto, faço também minhas as palavras do ABC.

P.S. Se vocês não querem ver ser posta em risco a vossa dignidade profissional, comportem-se de forma digna. É grátis...embora dê menos pilim.
Zeka Bumba , 17 Novembro 2012
...
Estou a ver que a persona Zeka é cliente habitual e comentariste desta revista.
Realça uma figura de frustração contra os advogados que não se entende por mais que se escave de onde vem profunda frustração.
Enfim, vou abandonar a corte antes que chegue ao nível dele...
Cumprimentos
Carlos Pacheco , 18 Novembro 2012
...
1 - A criança vai com os pais ao cemitério.
No fim, o miúdo diz ao pai:
- Pai, podem-se enterrar duas pessoas na mesma campa?
- Não, meu filho, enterram-se sempre as pessoas em campas diferentes.
- Mas eu vi...
- Viste o quê?
- Vi uma campa onde dizia "Aqui jaz um advogado e um homem honesto".

2 - Qual é o problema com as anedotas de advogados? É que os advogados não lhes acham piada e as outras pessoas não acham que sejam anedotas.

Pronto, pronto, para não me chamarem mauzinho, aqui vai uma mais equitativa:

3 - O Juiz chama os dois advogados ao seu gabinete e diz-lhes:
- Você ofereceu-me 10,000 euros para eu lhe dar a vitória neste caso, e você deu-me 15,000 euros para eu lhe dar a vitória a si. Eu estive a ponderar e já tomei uma decisão. Vou devolver os 5,000 euros de diferença e vamos julgar este caso como deve ser.
Juiz de Direito , 18 Novembro 2012
Honestidade...
Um homem rico ás portas da morte, manda chamar o seu advogado, o prior e o seu médico.
Acreditando que necessitará da sua riqueza no outro mundo, entrega a cada um deles uma mala com 100 000 euros, pedindo-lhe que a depositem na sua urna antes desta ser encerrada.
Verifica-se o óbito e todos três depositam a mala recebida na urna imediatamente antes do funeral.
Passados alguns dias encontram-se os três no café e o padre algo comprometido confessa:
- Tenho o dever de dizer-vos que a fim de completar as obras na igreja tirei 50 000 euros da mala.
O médico algo acabrunhado diz então:
- Também eu tirei metade do dinheiro para um meu programa de saúde com crianças necessitadas!
Diz então o advogado :
- Vocês envergonham-me com a vossa desonestidade! De facto também eu abri a mala, mas substitui o dinheiro por um cheque de 100 000 euros que o defunto poderá levantar onde entender!
Kill Bill , 18 Novembro 2012

Escreva o seu comentário

reduzir | aumentar

busy

Últimos conteúdos

A estrutura da InVerbis está organizada por anos e classificada nos correspondentes directórios.Os conteúdos publicado...

O Estado assumiu, através da empresa pública Parvalorem, a dívida de quase 10 milhões de euros de duas empresas de Vítor...

Dos 118 homicídios cometidos em 2012, 63 tiveram familiares como protagonistas • Cinco pais e 18 padrastos detidos por a...

Pedro Lomba - Na primeira metade do ano o ajustamento negociado com a troika correu dentro do normal e expectável. Mas d...

Últimos comentários

Tradução automática

Atualidade Multimedia A justiça é determinada pelos políticos e não pelos juízes

© InVerbis | 2012 | ISSN 2182-3138 

Sítios do Portal Verbo Jurídico