In Verbis


icon-doc
REVISTA DE 2012

Reportagem sobre as Fundações em Portugal

  • PDF


Extracto de Sexta às 9 | RTP1 | 21-09-2012

Comentários (4)


Exibir/Esconder comentários
...
Estou boquiaberto com o teor da reportagem
A ordem é resistência civil à austeridade que o desgoverno quer impor.
Está tudo podre.
Ai Ai , 23 Setembro 2012
...
Esta peça é muito fraca. Havia tanto para expor.
Tudo pela rama, sem grandes factos, daqueles que se descobrem com um verdadeiro jornalismo de investigação.
Umas entrevistasitas, uns dados conhecidos e pouco mais.
Descobrir aquilo que não é público, aquilo que não foi respondido e que alguns entrevistados querem que se esconda, isso não é para os jornalistas portugueses.
Parece que nem lhes ocorre que podem forçar (até judicialmente) as fundações públicas (e, depois da reforma da CADA no tempo de Tiago Silveira, até as privadas que recebem dinheiros públicos) a fornecerem os dados que pretendem.
Não, os jornalistas limitam-se a dizer que ficam a aguardar pelas respostas às perguntas não respondidas... sentados, confortavelmente, numa poltrona, com um café na mão, algures na capital.

P.s. Srs. Jornalistas da RTP, já que estão embalados sobre o tema das "gorduras do Estado", não lhes ocorre outra entidade sorvedora de dinheiro? Começa por R, acaba em P e tem um T pelo meio.~
Na! Para isso tinham de ser jornalistas a sério.
Eu , 23 Setembro 2012 | url
...
Concordo com o comentador anterior. A peça é mesmo muito fraca.

Da Fundação Mário Soares, que é financiada pelos nossos impostos, nem uma palavra. Nem que o dito continua a ter um gabinete na fundação que recebe milhões do Estado, gabinete esse pago à parte como "direito" de ex-presidente da república, a que acrescem motoristas, seguranças para si e cara-metade, tudo num despesismo atroz.

Das demais fundações, a reportagem pouco diz. Essa tal fundação José Cardoso, que ninguém conhece, mas que pertence ao Grupo Montepio / Seguradora Lusitania / Finibanco, a receber subsídios do Estado e com isenção de IRC e devolução do IVA é uma máfia. Quer dizer, essa gentalha tem lucros enormes e ainda tem isenções? É que essas isenções correspondem a impostos não recebidos e logo, menos receita fiscal que tem de ser compensada pelos impostos de quem trabalha. Os bancos - não é o Montepio o único que tem fundações -, as Seguradoras e as empresas de telecomunicações deveriam ser proibidas de ter fundações para por essa via só ter isenções fiscais (e até devoluções de impostos). E essa gentalha, ainda é financiada com o nosso próprio IRS mediante a consignação fiscal? Mas que treta é esta? Ver http://www.montepio.pt/SitePub...epio.page?
Fátima Pereira , 23 Setembro 2012
...
É um fartar vilanagem...
Indignado , 23 Setembro 2012

Escreva o seu comentário

reduzir | aumentar

busy

Últimos conteúdos

A estrutura da InVerbis está organizada por anos e classificada nos correspondentes directórios.Os conteúdos publicado...

O Estado assumiu, através da empresa pública Parvalorem, a dívida de quase 10 milhões de euros de duas empresas de Vítor...

Dos 118 homicídios cometidos em 2012, 63 tiveram familiares como protagonistas • Cinco pais e 18 padrastos detidos por a...

Pedro Lomba - Na primeira metade do ano o ajustamento negociado com a troika correu dentro do normal e expectável. Mas d...

Últimos comentários

Tradução automática

Atualidade Multimedia Reportagem sobre as Fundações em Portugal

© InVerbis | 2012 | ISSN 2182-3138 

Sítios do Portal Verbo Jurídico