In Verbis


icon-doc
REVISTA DE 2012

MJ garante novo edifício para DIAP do Porto

  • PDF

O Ministério da Justiça (MJ) vai arrendar um imóvel no Porto para reunir todos os serviços do Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP), actualmente dispersos por sete edifícios, e ainda para realojar os tribunais de instrução criminal e o de execução de penas.

A informação foi avançada ontem à agência Lusa pelo secretário de Estado da Administração Patrimonial e Equipamentos do MJ, Fernando Santo, no dia em que vários órgãos de comunicação social publicaram um alerta do procurador-geral distrital do Porto, Pinto Nogueira, que ameaçava fechar as instalações do DIAP do Porto por falta de condições de saúde e segurança.

Fernando Santo anunciou que o Tribunal de Execução de Penas, instalado num imóvel com um dos pavimentos em risco de ceder, será transferido em Agosto para o edifício onde funciona o Tribunal de Pequena Instância Criminal, na Rua João das Regras. "Com isto, não gastando mais dinheiro do que hoje, praticamente resolveremos os problemas de fundo de instalações judiciais no Porto", afirmou o secretário de Estado.

Quanto à reinstalação do DIAP e do tribunal de instrução, Fernando Santo não adiantou uma data para a operação, admitindo que será um pouco mais morosa. Explicou que, neste caso, o MJ está a estudar o arrendamento de um edifício com seis a sete mil metros quadrados.

"Logo que os serviços verifiquem as áreas disponíveis, será feito um pedido ao Ministério das Finanças para se fazer a consulta. Havendo acordo, passaremos de seguida a um contrato de arrendamento", disse, acrescentando que o ministério pretende conseguir um encargo mensal inferior ao que representam as actuais rendas.

O procurador-geral distrital diz mesmo que espera "não ser coagido a dispensar os magistrados e funcionários do seu trabalho, em razão" das deficientes condições de trabalho, e que se fossem privadas aquelas instalações já teriam sido encerradas.

Público | 25-04-2012

Comentários (1)


Exibir/Esconder comentários
...
Outro arrendamento? Não perceem ue isto assim não vai? A CMP que disponibilize um terreno e ponham os prsos a trabalhar, pagando-lhes uma pequena quantia para quando sairem em liberdade. Os móveis, esses, podem ser feitos em Paços de ferreira... pelos preos locais. Era o que se passava no tempo de Salazar, basta ver o TJ de Guimarães e outros. Todos saíam a ganhar.
asneirando , 26 Abril 2012

Escreva o seu comentário

reduzir | aumentar

busy

Últimos conteúdos

A estrutura da InVerbis está organizada por anos e classificada nos correspondentes directórios.Os conteúdos publicado...

O Estado assumiu, através da empresa pública Parvalorem, a dívida de quase 10 milhões de euros de duas empresas de Vítor...

Dos 118 homicídios cometidos em 2012, 63 tiveram familiares como protagonistas • Cinco pais e 18 padrastos detidos por a...

Pedro Lomba - Na primeira metade do ano o ajustamento negociado com a troika correu dentro do normal e expectável. Mas d...

Últimos comentários

Tradução automática

Forense Magistrados: Ministério Público MJ garante novo edifício para DIAP do Porto

© InVerbis | 2012 | ISSN 2182-3138 

Sítios do Portal Verbo Jurídico