In Verbis


icon-doc
REVISTA DE 2012

MJ: «Não há nenhum privilégio para os juízes»

  • PDF

Ministra explica corte da sobretaxa e manutenção da gratuitidade nos transportes públicos: é a solução que «pesa menos» ao Estado.

A ministra das Justiça negou que os juízes jubilados usufruam de uma «situação de privilégio», por não lhes ser aplicada a sobretaxa de IRS prevista na proposta de Orçamento do Estado de 2013 para os restantes aposentados.

À margem da apresentação de um livro sobre o Tribunal da Relação de Guimarães, Paula Teixeira da Cruz esclareceu também que ficaria «muitíssimo mais caro» ao Estado pagar as deslocações dos magistrados, pelo sistema de ajudas de custo, do que manter a isenção de pagamento destes profissionais nos transportes públicos. A responsável pela pasta da Justiça disse ainda que a investigação criminal será «alargada», e que a avaliação dos magistrados em função de objetivos é uma mudança «muito importante» para a acreditação da Justiça junto dos cidadãos.

Confrontada com a notícia do «Diário Económico», que afirma que os juízes jubilados serão isentos da taxa extraordinária de solidariedade prevista na proposta de Orçamento do Estado para 2013, para todos os aposentados da Função Pública, a ministra negou que tal fosse verdade.

«Não há nenhuma situação de privilégio. Os [juízes] jubilados são magistrados que mantêm todos os direitos e obrigações que os magistrados no ativo», disse. Por isso, referiu, os magistrados jubilados, por «manterem o estatuto de ativos, têm também um corte na aposentação e continuam, além disso, a descontar os 11 por cento para a Caixa Geral de Aposentações». Aliás, apontou, «preteritamente, o que aconteceu é que os jubilados, por serem considerados como ativos, tiveram dois cortes: referente às aposentações e igual corte aos que estão no ativo».

Sobre a manutenção da gratuitidade dos transportes públicos para os magistrados, Paula Teixeira da Cruz defendeu que esta isenção é a solução que «pesa menos» ao Estado. «Se assim não fosse, as deslocações seriam pagas como ajudas de custo. O que ficaria muitíssimo mais caro. Quando se fala em privilégios, é bom que vejamos de que é que estamos a falar. Estamos a poupar dinheiro porque, de outra forma, seria muito mais penoso», disse.

Paula Teixeira da Cruz deu também conta de que, com a nova reforma, «desaparece a designação do procurador-geral distrital», porque, explicou, «irá passar a existir um procurador coordenador por comarca». Esta mudança, garantiu, «vai alargar muito mais a investigação criminal».

No âmbito da reforma, a responsável pela Justiça lembrou ainda que a avaliação dos juízes será agora feita através de objetivos. «Quando um tribunal tem uma carga processual e os processos demoram mais do que aquilo que é suposto, é preciso que haja uma responsabilização. É muito importante que se entenda porque é que, num tribunal, os processos demoram mais ou demoram menos, e se os prazos foram ou não cumpridos», afirmou. Até porque, disse, «com as novas reformas vai passar a ser obrigatório justificar porque é que um julgamento começa mais tarde», e esta é uma mudança «muito importante», no relacionamento da justiça e cidadãos. «É uma diferença de cultura a que temos de nos habituar, sob pena de os cidadãos deslegitimarem, a cada dia, todo o sistema judiciário», vaticinou.

TVI24 | 29-10-2012

Comentários (35)


Exibir/Esconder comentários
...
No futuro, dentro de meses, Ir para a paragem do autocarro, ...o A3 já foi penhorado.
Almeida , 29 Outubro 2012
Objetivos
E se fixassemos objetivos à senhora ministra? Para os cidadãos não deslegitimarem a cada dia o seu ministério. E não me venham com a treta dos votos, pois isso é uma grandessíssima vigarice. Eles prometem alhos e dão-nos bugalhos. E para além disso os ministros não são escolhidos pela malta dos votos, mas pelos outros «do esquema»...
Priolo , 29 Outubro 2012
...
Eu, por mim, vou tratando a sério e com pancada o jornalismo nojento deste tipo, bem como o invejoso típico de várias origens políticas ou sociais, que, por maldade e mesquinhez, destroem a Justiça e o Estado.
Nunca lhes perdoarei!
Vão levar sempre pancada, discretamente, para um dia aprenderem a atacar com verdades e apenas os reais ladrões deste neocapitalismo nojento.
rockenfeller/rotenschild/goldman.sachs(nomes originais alemaes judaicos) , 30 Outubro 2012
...
"É muito importante que se entenda porque é que, num tribunal, os processos demoram mais ou demoram menos".

Experimentem aplicar umas custazitas incidentais e umas taxas sancionatórias excecionais (e mesmo as litigâncias de má fé) mais vezes e verão como os processos fluirão muito mais rapidamente até ao julgamento e como as audiências de julgamento decorrerão muito mais rapidamente. Ah, e não esquecer as certidões para as testemunhas aldrabonas e cuidadinho com a credibilidade dos atestados médicos das testemunhas faltosas (no meu caso, este problema não se põe, pois as testemunhas são a apresentar).
Zeka Bumba , 30 Outubro 2012
...
Não há nenhum privilégio para os juízes? Se tiverem atenção à leitura de revistas conceituadas, lêem o seguinte: As 10 profissões mais desgastantes do mundo: Aparece lá a do juiz? Bem me parecia, acordam tarde, chegam tarde aos julgamentos, não lêem as peças, não aturam clientes, então os do M.P Jasus, é um fartar de boa viadagem...Tem ordenados chorudos, não trabalham ao fds...prendem crianças e malta que bebeu um copito a mais, deixam à solta pedófilos, corruptos...e Lobbies...Não tem regalias ou são eles próprios que a compram? Haja ética e moral...
Francisco , 30 Outubro 2012
...
Por estas e por outras é que estamos no lugar que merecemos - no lixo.
Porque razão o cidadão comum tem que pagar as deslocações fora de serviço a toda esta gente? policias, magistrados, funcionários, etc? Porque razão o cidadão comum tem que pagar a eletricidade mais cara para que os funionários da EDP, nada paguem? Isto acontece em vários serviços onde o cidadão comum tem que aguentar tudo isto. PT, SMAS, viaturas e combustível, à custa dos nossos impostos etc, etc.
Apalermado , 30 Outubro 2012 | url
...
Deslocações pagas como ajudas de custo? Que deslocações?
Valmoster , 30 Outubro 2012
...
Valmoster, as deslocações entre comarcas (círculos, turnos, etc.).

Apalermado, tem razão, pois está mesmo a ser palerma, porque não leu o que está na lei.
A gratuitidade na utilização dos transportes é apenas em serviço e dentro da jurisdição (comarca). É isso que está no Estatuto dos Juízes e MP e não é o direito de utilizar os transportes à borla como noticiaram os jornais e tv's em qualquer ponto do país. Aliás, os juízes e magistrados do MP só podem utilizar os transportes públicos com um cartão ou uma requisição, sendo essas deslocações pagas pelos organismos nos quais prestam funções e, claro está, analisadas. Um juiz que está em Viseu não pode fazer uma viagem a Lisboa, salvo se estiver autorizado a deslocar-se em serviço (ex. acção de formação, convocação para ir ao CSM, etc.). E só pode fazê-lo em dias e em serviço e não aos domingos ou em férias. Leia a lei e depois deixe de debitar disparates.
Mirror , 30 Outubro 2012
...
Francisco, se é assim porque não concorre a juiz ou a magistrado?
É fácil falar e escrever do que não se sabe.
Os juízes e magistrados trabalham mais de 60 horas semanais, cerca de 12 horas por dia. Muitos trabalham também aos fins de semana e férias, sem qualquer acréscimo remuneratório. E se acha que 2000 euros líquidos é um salário chorudo, para a responsabilidade que envolve, para o investimento que teve que ser feito e que continua a ter que ser feito, com restrições na sua vida pessoal e familiar, cumprindo a lei mas sendo culpabilizados por simplesmente a estarem a cumprir, então venha. Concorra e se conseguir entrar -- coisa nada fácil, pois de 5000 candidatos entram 50... -- parabéns: é um privilegiado, mas só no trabalho. Enxergue-se. Quanto mais achincalharem os juízes e magistrados mais pior fica a cidadania e democracia em perigo. Está a chegar o dia em que os juízes baixem os braços e os direitos fundamentais dos cidadãos fiquem irremediavelmente perdidos.
Adelaide , 30 Outubro 2012
Eu também quero...
Oh Sr Francisco, diga-me por favor em que comarca o MP (e os MJ) - todos- recebem ordenados chorudos (nao sei bem o que seja, mas talvez equivalente aos honorários de certos profissionais liberais?) para não fazer nada e só andar na vadiagem. Por favor diga-me para eu no proximo movimento ir para lá. É que aqui confiscaram-me o ordenado, entro as 09h e não tenho hora de sair, o almocinho por vezes é uma sandes, ando de clio e, como sou triste, leio os processos antes de os despachar.
MP da viadagem , 30 Outubro 2012
...
Francisco,

Esses disparates que para aí debitou foram aprendidos no seu vasto estudo da deontologia e da ética dos juizes de que se diz profundamente conhecedor? Se sim, lamento dizer-lhe que leu os livros de pernas para o ar e nem deu conta.

Você cada vez mais se parece com o meu amigo António (que até se enganou a escrever o nome de guerra num comentário dum outro artigo).

Porém, sempre lhe pergunto: se a profissão de juiz ou de procurador é assim tão boa (ordenados chorudos, não fazer a ponta de um chifre, etc), porque é que não vem para juiz ou procurador?

Só mais uma coisa, sujeitos como você que aqui debitam o que debitam só estão a contribuir para que os juizes e procuradores cada vez tenham menos encaixe para aturar os advogados e uma relação que sempre foi mais ou menos cordial se torrne numa guerra sem quartel, com grandes prejuízos para todos e sobretudo para as pessoas que recorrem aos tribunais.
Antoninho , 30 Outubro 2012
...
Caro MP da viadagem,

É claro que exite uma comarca em que os magistrados recebem ordenados chorudos para não fazerem nada e só andarem na vadiagem: é na Comarca da Parvónia, onde os "franciscos" e outros que tais têm escritório.

Não sabia? Fica a saber.smilies/wink.gif
Antoninho , 30 Outubro 2012
Resposta a Francisco
Prezado concidadão:
Eu bem gostaria de dormir todas essas horas pela noite e manhã fora...
E de deitar cedo.
E de ter as férias judiciais todas para gozo das minhas férias pessoais.
Ou de não ter férias judiciais e poder gozar as férias pessoais em qualquer altura do ano, como outro qualquer cidadão.
Eu gostaria de ter um "ordenado chorudo", que seria bem merecido, passe a imodéstia, pelas funções que exerço e nas quais, há anos, me empenho.
Eu gostaria de ter disponível veículo do Estado para as minhas deslocações em serviço (v.g. nos turnos) e de não ter que colocar à disposição o meu próprio semovente.
Eu gostaria de não trabalhar ao fim-de-semana (ou de ser remunerado condignamente por tal trabalho).
Já não gostaria de chegar tarde a julgamentos. E posso gabar-me de nenhum deles se ter iniciado fora de horas por causa que me fosse imputável (não direi o mesmo de alguns ilustres causídicos, partes e/ou testemunhas, felizmente, não a maioria).
Enfim... caro Francisco: Haja respeito e decoro!
Um juiz entre outros , 30 Outubro 2012
...
Entre a casa de função e o serviço os magistrados viajarão de borla ou não?
Valmoster , 30 Outubro 2012
...
Valmoster, os magistrados só têm direito à utilização de transporte colectivo, que não é gratuito, mas sob requisição prévia, em serviço. Não há nenhuma borla. É o que está nos Estatutos. Agora, o conceito de «em serviço» é igual para todos os agentes do Estado. OK?
Mirror , 30 Outubro 2012
Caro Antoninho
Caríssimo Antoninho, de facto enganei-me, devia ter escrito António. Se o Francisco se parece comigo não sei nem quero saber, apenas sou o António. (PONTO).
Quanto a você, já que o Zeka Bumba tá gasto, utiliza o Anti-Advogadagem e o Antoninho agora.
Pois se os Juízes são isto e aquilo como estão tanto tempo agarrado aos pcs durante a tarde a responder a questões que os mesmos nem deviam comentar?
Despesas de deslocações pagas? Sinceramente, criticam tanto as profissões liberais mas essas pagam as suas despesas.
Quanto a andarem de clio ou não, não quero saber. Mas a Lei que vem aí, vai colocar os Juízes com alguns objectivos a serem cumpridos. Então não são imunes, trabalham arduamente? Porquê esta Lei. Eu acho que a Magistratura é pouco independente e acho que vocês Sr. Juízes tão tempo a mais na internet paga por todos os contribuintes. Ou pagam net? Luz? deslocações? Não tarda querem ser equiparados ao estatuto de médicos/cirurgiões. Cada macaco no seu galho. EU perco tempo aqui mas sou eu que pago esse tempo e não são às 16h00 como o M.P. É minha opinião e serve para atingir certas personalidades de Zeka Bumba...trabalham pouco, ganham mt e são pouco independentes...
António , 30 Outubro 2012
...
Mirror:

O conceito "em serviço" é igual para todos os agentes do Estado. A questão é que parece que vai deixar de ser. Por exceção.
Valmoster , 30 Outubro 2012
...
Valmoster, não não vai.
O que não entendo é toda esta histeria, pelos magistrados usarem transportes públicos em serviço.
Eu acho que fazem muito mal.
Afinal, os juízes são titulares de órgãos de soberania. Os outros titulares de órgãos de soberania, apesar de terem o mesmo direito em usar transportes públicos gratuitamente, isto é, pagos pela respectiva entidade (há deputados que vão para Lisboa de comboio, do mesmo modo que o fazem os juízes conselheiros), têm veículos e motoristas de serviço. As próprias chefias da GNR, PJ, PSP, SEF, ASAE têm motoristas que as transportam de casa para o serviço e vice-versa. Logo, está MAL: os juízes enquanto titulares de órgãos de soberania deviam exigir o mesmo tratamento, isto é, carro, motorista e combustível.

Já agora, aproveitando para responder ao António, não percebi essa da luz, deslocações e internet. Quem me deram que me pagassem as muitas horas que passo em casa, à noite, com a luz e computador ligado, à pesquisa de jurisprudência, para elaborar sentenças cíveis e acórdãos crime. E quanto a deslocações, não sei a que se refere, pois as únicas que me reembolsam, seis meses depois, são as deslocações entre comarcas, a um valor por km inferior ao do preço do combustível, isto porque por não haver transporte público a horas decentes para as ligações, sou obrigado a dispensar o meu veículo, a pagar do meu bolso a manutenção, os pneus, as revisões, etc.. Um pouco mais de decência e de gratidão ficava bem. Mas é por causa da ingratidão de pessoas como o António que a partir de Janeiro vou deixar de usar o meu veículo em benefício de quem não merece, já que a distância entre as várias comarcas entre si é inferior a 20 km e deixa de haver reembolso. Portanto, as partes e respectivos advogados que paguem antecipadamente a um taxi para as deslocações entre as comarcas. Fica mais caro para vós? Paciência, problema vosso. Não merecem mais. Eu é que não sou obrigado a ceder o meu veículo pessoal para depois haver ingratos que desdenham da boa vontade dos que trabalham muito mais do que a isso são obrigados. Passem bem, melhor dizendo, desenrasquem-se: querem menorização para os outros, vão tê-la para vós.
Mirror , 30 Outubro 2012
...
«Despesas de deslocações pagas? Sinceramente, criticam tanto as profissões liberais mas essas pagam as suas despesas.»

Pois pagam, melhor dizendo, pagam e depois COBRAM aos seus clientes, ao triplo do preço. E depois ainda deduzem IVA. E mais: deduzem essas deslocações no rendimento tributável para pagarem menos irs / irc. Estamos entendidos sobre quem tem privilégios...
Adelaide , 30 Outubro 2012
...
NUm programa televisivo, designado por " Jusriça Cega " um dos oradores do qual não vou dizer o nome, disse: em principio de carreira um magistrado ganha mais do que um General . Ora para se chegar a General há que penar, digo eu, inisciando na AM com a licenciatura militar e depois já na arma em alferes, tenente, capitão, major, t.coronel, coronel. Pelos vistos os Joaquins os Antónios e os apalermados não estão a ditar bitites,boca fora, é a classe paralela quem o afirma
Apalermado , 30 Outubro 2012 | url
...
O Adelaide você não pesca nada de impostos...Então os liberais cobram iva da luz, deslocações? Cobram os seus honorários com IVA à taxa correspondente...
Desde quando pagam IRC? Para abater ao rendimento tributável sujeitam-se também às Tributações autónomas...
Já o tenho dito...Juízes e impostos e contas não é com vocês...como lêem balancetes para a insolvência...Pois n lêem...
António , 30 Outubro 2012
...
Apalermado, não se pode acreditar em tudo o que dizem os "oradores", muito menos dos que vão às televisões, pois costumam ser apalermados ao quadrado.
Mas para que não fique na ignorância, eu posso esclarecê-lo.
Um general tem um vencimento ilíquido (já depois dos cortes de 2011), de cerca € 5181,41.
Um juiz, em início de carreira, tem um vencimento ilíquido de € 2.396,92.

Nota: a remuneração do General não inclui os suplementos remuneratórios que constam do Anexo III ao DL Nº 328/99, pois com eles, pode auferir mais de 20%. Também não inclui todo o valor pecuniário correspondente às mordomias (carro, motorista, fardamento, etc.).

Espero que tenha ficado esclarecido e deixe de viver apalermado, sobretudo deixe de acreditar em tudo o que lhe contam sem suporte legal.
Mirror , 30 Outubro 2012
...
Peço desculpa, estava a ver uma tabela e indiquei o valor do vencimento dos generais que era de 2008
Em 2010 o vencimento ilíquido dos generais era de 5.428,85 (índice 760 = remuneração base de € 4.498,90 a que acresce suplemento de condição militar de € 929,95).
Como em 2011 sofreram um corte de 10%, o vencimento passou a ser de € 4.885,96.
A verdade acima de tudo.
Continuo a não incluir os demais suplementos remuneratórios que constam do Anexo III ao DL Nº 328/99.
Mirror , 30 Outubro 2012
...
António, há profissionais liberais que se constituem em sociedades e passam a pagar irc. Coloquei irs / irc conforme o caso. E claro que cobram iva da luz e das deslocações - cobram tudo. Há uma coisa que se chama honorários e outra que se designa de despesas. Só para "abertura de processo" há alguns que cobram € 100,00. O que é a "abertura do processo" senão a inclusão de todas as despesas correspondentes ao exercício de um escritório? Não queira tapar os olhos com uma peneira nem queira fazer os outros de ingénuos.
Adelaide , 30 Outubro 2012
...
Adelaide você é mesmo tenrinha em contas, peço desculpa.
Desculpe-me mas não lhe vou dar uma aula fiscal. Quando uma sociedade de advogados pagar IRC avise-me que é sinal que estamos noutro País.
Quanto às despesas ditas, deve ser pedido despesas por conta e nome do cliente, abertura do processo é sempre honorários.
Aconselho-a vivamente a estudar o Art.º 6.º IRC...aconselho-a tb a estudar o Art.º 151.º CIRS...e mais não digo.
Estude Adelaide...
António , 30 Outubro 2012
...
Lá anda o António a fazer de conta que não é advogado. Claro que não é, é padeiro...smilies/grin.gif

Ó António (quanto ao comentário lá de cima):

Sê homenzinho, tem um pouco de dignidade e ao menos assume que usas vários nicks. Quem é que tu tentas enganar com a história de te "enganares" a pôr o pseudónimo quando qualquer um dos que por aqui andam sabem que, uma vez escrito o nome, ele não se apaga...e o que te aconteceu só acontece porque andas sempre a mudar de nome e a tua ânsia de responder era tao grande (SÓ VIAS ANTONINHO).

Por isso, já que foste APANHADO, tem ao menos dignidade para não vires desmentir o indesmentível. Guarda isso para as tuas alegações nos julgamentos.
Antoninho , 30 Outubro 2012
...
Só mais uma coisita,ó António,

Então, tu não és advogado. NÃÃÃÃÃÃÃ!!!!

Mas sabes que as sociedades de advogados não pagam IRC (e até fundamentas na Lei) e que as "aberturas de processo" (mais um expediente para "c****r" dinheiro ao cliente) são honorários e não despesas.

DEVE SER PORQUE QUANDO TÉ DÁ A VONTADE, EM VEZ DE LEVARES O JORNAL, LEVAS O EOA ANOTADO E OS CÓDIGOS DO IRS E IRC...

Até dás pena....

P.S. Se precisares que te serrem o nariz (já deve ir comprido...), eu conheço um carpinteiro bom e que não cobra "aberturas de processo".

smilies/grin.gifsmilies/grin.gifsmilies/grin.gifsmilies/grin.gifsmilies/grin.gifsmilies/grin.gifsmilies/grin.gifsmilies/grin.gif
Antoninho , 30 Outubro 2012
...
Meu querido Antoninho...A ânsia de te responder era tanta que na parte de cima do nick pus Antoninho...Quanto a essa tua fúria perante aquilo que escrevo, dá-me prazer de ver que te consido alertar, pôr em sentido e com enorme desejo de resposta (a tua claro) Eu apenas sou António, não preciso como tu de ser Zeka Bumba, Anti-Advogadagem ou agora Antoninho (Nem metes as maíusculas) para pensarem que és outro ser...ahahahah.
Quanto às sociedades de advogados? Acha que um advogado sabe que paga IRS em vez de IRC? Simplesmente querem os seus honorários? Achas que se ralam o que entra em despesa ou em adiantamento por conta de despesas? Não tarda dizes que sou sócio de uma sociedade de advogados e recebo consoante os lucros? Como vês tou muito mas muito longe de ser Advogado. Mas ainda bem que o achas (os 3 nicks). Quanto ao texto em si, continuo a concordar com a fiscalização a estes escritórios verdadeiros centros de poder...
E mais..uma sociedade de advogados, economistas, médicos, contabilistas, psicólogos Art.º 6 IRC D. Adelaide....
Quanto a si Zeka Bumba/Antoninho/Anti-Advogadagem essa frustração de não ter sido Advogado é enorme, não se preocue em breve os Juízes trabalham por conta de objectivos aí é que a porca torce o perdigoto...ahahaahahha
Bem Hajam
António , 31 Outubro 2012
...
E mais Antoninho quanto ao nome escrito e nunca mais apagado é pq V.Ex.a já experimentou...ahahahaha
Vá meta lá o Zeka Bumba que a malta já está habituada...
António , 31 Outubro 2012
...
Mirror,
Lá atrás disse que "também não inclui todo o valor pecuniário correspondente às mordomias (carro, motorista, fardamento, etc.)".
Cuidado com as generalizações!
Os Generais pagam o fardamento; têm, isso sim, desconto ao adquiri-lo nas Oficinas Gerais de Fardamento e Equipamento.
Os Generais têm direito a viatura de serviço, e correspondente motorista, dependendo das funções que exercem (não pelo simples facto de serem Generais).
Cumprimentos

descontente (o original) , 31 Outubro 2012
...
E porque não retirarem todas as "regalias" aos Magistrados? De facto já são escravos, só falta o serem de Direito.
Ou melhor, que tal obrigarem os actuais Magistrados a sair da profissão para darem lugar aos Antónios e Franciscos deste país que certamente dignificam muito a Justiça e vão trabalhar 24 horas por dia gratuitamente, não vão ter familia, não vão ter vida pessoal, vão conseguir despachar 500 processos dia, nas deslocações a outros Tribunais vão no seu próprio veículo (ou o dos paizinhos) e às suas custas, sem direito a férias ou fins-de-semana ( não queriam mais nada os maganos), e a utilizar o seu próprio computador, internet, impressora (pois que o Estado não tem que sustentar quem para si trabalha! Era só o que faltava!), e em menos de 1 mês acabam a pendência nos Tribunais! Aleluia!
MP da viadagem , 31 Outubro 2012
...
Cara MP da Viadagem...claro que acho que os Juízes devem ter família...mas muito me intriga vocês os Juízes passarem o dia na internet...Sempre a queixarem-se que perderam isto ou aquilo. O País em geral perdeu, porquê dos Juízes manterem toda as suas regalias?
Se assim o entende descarreguem essa frustração nos lobbies, políticos, criminem e metam na choça que merece, não percam tanto tempo com choradeiras que já chateia...Metam o País a andar e com Justiça independente é pedir mt?
Haja paciência para tais choraminguices de V.Ex.as...
António , 31 Outubro 2012
...
É verdade, descontente (o original). Mas têm um subsídio de fardamento. Era a esse subsídio que eu não incluí no cálculo. Claro que é um valor muito reduzido, há que reconhecê-lo, inferior ao necessário para um efectivo fardamento. Mas o facto de ter carro e motorista ao dispor, claro que relacionado com o exercício da sua função, significa que têm um direito superior a todos os juízes, com excepção dos do Tribunal Constitucional. Só que quanto a estes convém também não generalizar, pois alguns deles, que não residem em Lisboa, deslocam-se de comboio e não do automóvel da frota que existe.
Mirror , 31 Outubro 2012
...
Ó António,

Outra vez a ver em triplicado? Logo de manhã, homem?

Com que então, concordas com a fiscalização aos grandes escritórios. Então e com a fiscalização aos pequenos escritórios?

Também concordas? Tás à vontade? Passas sempre os recibos "verdes" por todos os serviços que prestas? NUnca ajudaste cliente nehum a fazer umas falcatruas?
Anti-Advogadagem , 31 Outubro 2012
...
Sou completamente apologista de todo e qualquer escritório seja grande ou pequeno,

Sabendo bem que V.Ex.a Anti-Advogadagem tem queda para os grandes! Quanto ao facto de passar recibo ou não...sou sempre cumpridor e obrigado a tal na profissão que desempenho. Muito embora não esteja agregado a tal regime fiscal...Quanto a falcatruas desconheço isso na minha profissão, ao contrário de outras que se vendem a pequenos tostões...

O facto de ver em triplicado permite-me ter um campo de visão superior a outros que não tem...

Os tais...os tais...cobardolas da sociedades que efectuam cobardolices tamanhas...em decisões finais que eram do interesse de toda a sociedade em geral...

Bem Haja....S...k.-...er....
António , 09 Novembro 2012

Escreva o seu comentário

reduzir | aumentar

busy

Últimos conteúdos

A estrutura da InVerbis está organizada por anos e classificada nos correspondentes directórios.Os conteúdos publicado...

O Estado assumiu, através da empresa pública Parvalorem, a dívida de quase 10 milhões de euros de duas empresas de Vítor...

Dos 118 homicídios cometidos em 2012, 63 tiveram familiares como protagonistas • Cinco pais e 18 padrastos detidos por a...

Pedro Lomba - Na primeira metade do ano o ajustamento negociado com a troika correu dentro do normal e expectável. Mas d...

Últimos comentários

Tradução automática

Forense Magistrados: Juízes MJ: «Não há nenhum privilégio para os juízes»

© InVerbis | 2012 | ISSN 2182-3138 

Sítios do Portal Verbo Jurídico