In Verbis


icon-doc
REVISTA DE 2012

Salários no Estado caíram seis vezes mais do que no privado

  • PDF

Salários no Estado caíram seis vezes mais do que no privado. A redução salarial que tantas vezes é pedida a Portugal está a acontecer. Mais no público que no privado.

Os salários dos funcionários públicos caíram 6,7% no segundo trimestre deste ano, enquanto as remunerações no sector privado recuaram 1%. Os dados, que foram divulgados na sexta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), mostram que a austeridade afectou mais os trabalhadores do Estado. Recorde-se, no entanto, que a taxa de desemprego que já ultrapassou os 15% afecta exclusivamente os trabalhadores do sector privado.

De acordo com os dados publicados pelo INE, "no segundo trimestre de 2012, as remunerações pagas registaram uma diminuição de 2,3% (variação de -0,8% no ano acabado no primeiro trimestre de 2012)". "Esta evolução reflectiu sobretudo a diminuição das despesas com remunerações do sector das administrações públicas (taxa de variação de -6,7%) e do sector das sociedades não financeiras (taxa de variação de -1%)", acrescenta o instituto estatístico.

Esta comparação mostra que o ritmo de quebra dos salários no sector público foi 6,7 vezes mais intenso do que a contracção de salários nas empresas.

No Estado, a suspensão do pagamento do subsídio de férias, que aconteceu em Junho, foi determinante para aquele resultado. A diferença entre o impacto das medidas de austeridade nos trabalhadores do Estado e nos do sector privado foi um dos argumentos utilizados pelo Tribunal Constitucional para chumbar a suspensão do pagamento dos subsídios de férias e Natal, a partir de 2013.

Económico | 01-10-2012

Comentários (3)


Exibir/Esconder comentários
...
Conclusão óbvia: no público ganha-se bem mais.......... ou ganhava.
Offrecord , 01 Outubro 2012
...
" taxa de desemprego que já ultrapassou os 15% afecta exclusivamente os trabalhadores do sector privado"

É FALSO
Então e os abrangidos pelo Regime do Contrato de Trabalho em Funções Públicas não contam ??
Pelas notícias só professores, envolvidos no maior "despedimento coletivo" que há memória em Portugal , são 7540.

http://www.arlindovsky.net/2012/09/menos-7540-contratacoes/

Luis Costa , 01 Outubro 2012 | url
...
O problema é ainda maior, quando se sabe que no privado uma grande parte da remuneração é paga de forma "encapotada"!
Quid Juris? , 02 Outubro 2012

Escreva o seu comentário

reduzir | aumentar

busy

Últimos conteúdos

A estrutura da InVerbis está organizada por anos e classificada nos correspondentes directórios.Os conteúdos publicado...

O Estado assumiu, através da empresa pública Parvalorem, a dívida de quase 10 milhões de euros de duas empresas de Vítor...

Dos 118 homicídios cometidos em 2012, 63 tiveram familiares como protagonistas • Cinco pais e 18 padrastos detidos por a...

Pedro Lomba - Na primeira metade do ano o ajustamento negociado com a troika correu dentro do normal e expectável. Mas d...

Últimos comentários

Tradução automática

Atualidade Direito e Sociedade Salários no Estado caíram seis vezes mais do que no privado

© InVerbis | 2012 | ISSN 2182-3138 

Sítios do Portal Verbo Jurídico