Uma reforma de 3000 euros é milionária?

"Porque é que um ministro tem de viajar em classe económica? Onde é que uma reforma de 3 ou 4 mil euros é milionária? Temos de nos deixar desta porcaria de populismos", disse o patrão do Pingo Doce.

“Uma coisa muito importante é que se acabe de uma vez por todas com esta mania nacional dos salários dos ricos, dos salários dos quadros, e coitadinhos de nós que temos de viver com mil euros. Não é nada disso”, afirmou Alexandre Soares dos Santos, questionado sobre a forma como deviam agir os gestores e responsáveis portugueses.

O presidente do grupo Jerónimo Martins defende que são necessárias políticas salariais adequadas, porque os trabalhadores devem sentir que são devidamente recompensados pelo seu trabalho. “Temos de ter políticas salariais onde as pessoas que trabalham na companhia sintam que o produto do trabalho também vai para eles. Todos nós temos o desejo de viver melhor. Em Portugal não existe isso".

“Chamam reformas milionárias a um tipo qualquer que trabalhou toda a vida e tem uma reforma de três ou quatro mil euros. Onde é que isto é milionário? Temos de incentivar as pessoas a mais e a melhor. Temos de nos deixar desta porcaria de populismos, que temos de andar de autocarro, e essas coisas. Cada um anda como quiser. Porque é que um ministro tem de viajar de classe económica? Não é isso o que interessa a este país. O que interessa é que os governantes usem o dinheiro dos nossos impostos a nosso favor”, explicou.

As declarações de Soares dos Santos foram proferidas na apresentação de resultados de 2011, ano em que a Jerónimo Martins aumentou os lucros de 2011 em 21% para 340 milhões de euros.

Ria Faria | Jornal de Negócios | 07-03-2012