In Verbis


icon-doc
REVISTA DE 2012

Quase 22 mil estrangeiros obtiverem cidadania em Portugal

  • PDF

Em 2010, 810.500 cidadãos de países terceiros obtiveram cidadania europeia, 21.800 dos quais portuguesa, segundo dados hoje divulgados pelo gabinete oficial de estatísticas da União Europeia (UE), Eurostat.

Segundo o Eurostat, enquanto o número de concessões de cidadania cresceu na UE (em 2009 foram 776.100), diminuiu em Portugal (25.600, em 2009).

Portugal foi, no entanto, o país com maior taxa de concessões por cada 100 residentes estrangeiros: 5,6, acima da média de 2,4 na UE, seguido da Polónia, com 5,0, e da Suécia, com 4,9.

Também o número de nacionalidades concedidas por cada mil habitantes fixou-se, em Portugal, acima da média europeia: 2,0 e 1,6, respetivamente.

O Brasil (18,4%) e Cabo Verde (18,3%) são os países de onde os novos cidadãos portugueses são oriundos, seguindo-se a Moldávia (12,3%) e Angola (9,0%).

Em números absolutos, o Reino Unido foi o país que maior número de nacionalidades concedeu (195.000 pessoas), seguindo-se a França (143.000), a Espanha (124.000) e a Alemanha (105.000).

O número de aquisições de nacionalidade aumentou 4,0% na UE, de 2009 para 2010.

A maior parte de concessões de nacionalidade europeia teve como destinatários cidadãos oriundos de Marrocos (8,3%), Turquia (6,2%), Equador (5,6%) e Índia (4,3%).

Lusa/DN | 16-11-2012

Comentários (3)


Exibir/Esconder comentários
O PS tem que voltar a governar para continuar a fazer estes milagres
smilies/grin.gifsmilies/grin.gifsmilies/grin.gif
Sim porque enriquecer com os pobres dos outros , às centenas de milhar doar aldeias olímpicas de 116 milhões de euros e campos de futebol não é para todos...
Volta Sócrates que queremos mais do mesmo!
Lusitânea , 17 Novembro 2012
Só?
22 000 novos portugueses é absolutamente insuficiente! A população nacional está como todos sabem a caminho da extinção a curto/médio prazo. Claro que haverá gente como o "lusitânea" que acha que o seu nivel de vida ou a sua pensão irá ser suportada pelo seus egrégios avós e coisa e tal!
Já que as nacionais parideiras andam com tão baixa produtividade, e os naturais em boa idade reprodutora se estão a nacionalizar noutros países , há que compensar os números !
Mas se bem entendo o Lusitânea, o problema não é de números. É de cores! Ainda se ao menos os novos nacionais não fossem tão morenos!
Pedro Só , 17 Novembro 2012
Os novos nacionais de papel passado...
smilies/grin.gifsmilies/grin.gifsmilies/grin.gif

Ó Pedro Só para mim o mundo não é um só e sem memória.Gosto muito de reciprocidades.
Eu não passei procuração a ninguém para andarem a nacionalizar a eito, logo não reconheço o que andam a fazer nas minhas costas.No que sou certamente secundado pela esmagadora maioria dos Portugueses.Que com políticas Marxistas tomadas por uma minoria sem expressão estão a ser transformados em escravos das diferenças
Lusitânea , 17 Novembro 2012

Escreva o seu comentário

reduzir | aumentar

busy

Últimos conteúdos

A estrutura da InVerbis está organizada por anos e classificada nos correspondentes directórios.Os conteúdos publicado...

O Estado assumiu, através da empresa pública Parvalorem, a dívida de quase 10 milhões de euros de duas empresas de Vítor...

Dos 118 homicídios cometidos em 2012, 63 tiveram familiares como protagonistas • Cinco pais e 18 padrastos detidos por a...

Pedro Lomba - Na primeira metade do ano o ajustamento negociado com a troika correu dentro do normal e expectável. Mas d...

Últimos comentários

Tradução automática

Atualidade Direito e Sociedade Quase 22 mil estrangeiros obtiverem cidadania em Portugal

© InVerbis | 2012 | ISSN 2182-3138 

Sítios do Portal Verbo Jurídico