In Verbis


icon-doc
REVISTA DE 2012

Xico-Espertos

  • PDF

J.L. Pio Abreu - Que Portugal era um país de Xico-Espertos, já o sabemos desde há muito. Os buracos propositados da lei, somados à ambiguidade de uma língua muito mais poética do que lógica, e à preocupação em proteger alguns "desgraçadinhos" que apareceram depois do 25 de Abril, criaram um conjunto de esquemas que poucos hesitavam em usar.

Havia especialistas na elaboração de pedidos, programas e projectos para ir buscar mais algum, ou na congeminação de buracos contratuais em obras para implicar maior despesa (por exemplo, numa piscina onde fossem retiradas do contrato as necessárias luzes).

À esperteza de uns, respondiam os outros com uma esperteza maior e, de degrau em degrau, lá se iam driblando uns aos outros com mútua admiração. As autarquias e o Estado acabavam por pagar tudo. Com os esforços do Tribunal de Contas e as restrições orçamentais, os Xico-Espertos foram perdendo as suas oportunidades. Mas a cultura ficou.

As recentes propostas de mexida na TSU cheiram a Xico-esperteza para driblar as resoluções do Tribunal Constitucional: "Ah, fizeste-me isto? Já vais ver o que te espera". Depois era só esperar o que fariam os outros Xico-Espertos, talvez uma deriva para a economia paralela. Mas não. O povo saiu à rua em protesto pacífico e voltou para casa. Ninguém se aproveitou. Aparentemente não houve Xico-esperteza, pelo menos fora dos partidos da maioria. Não sei o que se passa. Mas admito que os Xico-Es-pertos já só existam nas elites do poder.

J.L.Pio Abreu | Destak | 20-09-212

Comentários (3)


Exibir/Esconder comentários
...
Quosque tamdem Catilina abutere, patientia nostra?
Jesse James , 21 Setembro 2012
...
O povo saíu à rua 38 anos depois. Mas não demonstrou o conhecimento suficiente do envolvimento dos abutres na sociedade abusiva que proliferam, cada vez mais, a cada dia que passa, nas gabinetes da AR, dos Advogados, etc. e o país, cada vez mais mergulhado em dívidas e o Zé a pagar, através do seu impostos, do seu ordenado, para que tudo, mas tudo continue na mesma.
Rosário dos Santos , 21 Setembro 2012 | url
Mais um job for the boys
A nomeação de Pedro Machete, advogado na Rui Pena e Arnault, embora só se refira que é professor na U.C., área de direito público, passou aparentemente despercebida na Comunicação Social (repare-se no estardalhaço que houve sobre saragoça e conde rodrigues, e depois a nomeação de simpatizantes - ver processos decididos - do cds e do ps, também paus mandados em vez de pensarem pelas próprias cabeças.
O nojo continua...não têm vergonha na cara. Deviam nomear pessoas com mérito e competentes...
... , 22 Setembro 2012

Escreva o seu comentário

reduzir | aumentar

busy

Últimos conteúdos

A estrutura da InVerbis está organizada por anos e classificada nos correspondentes directórios.Os conteúdos publicado...

O Estado assumiu, através da empresa pública Parvalorem, a dívida de quase 10 milhões de euros de duas empresas de Vítor...

Dos 118 homicídios cometidos em 2012, 63 tiveram familiares como protagonistas • Cinco pais e 18 padrastos detidos por a...

Pedro Lomba - Na primeira metade do ano o ajustamento negociado com a troika correu dentro do normal e expectável. Mas d...

Últimos comentários

Tradução automática

Opinião Artigos de Opinião Xico-Espertos

© InVerbis | 2012 | ISSN 2182-3138 

Sítios do Portal Verbo Jurídico