In Verbis


icon-doc
REVISTA DE 2012

Pensamento mágico nas Finanças

  • PDF

Luis Pais Bernardo - O pensamento mágico parece ter-se tornado moda. Já não é apenas uma moda cognitiva que sustenta uma indústria inteira de manuais de auto-ajuda. Agora, o pensamento mágico chegou ao Ministério das Finanças, e Vítor Gaspar, na última comunicação efectuada ao país, voltou a demonstrar a extensão do problema.

Apesar da linguagem e pose tecnocráticas, o ministro das Finanças - tal como, aliás, o primeiro-ministro - mostrou que o projecto político deste Governo e da 'intelligentsia' que o rodeia é relativamente simples: desejar com muita força que algo ocorra e, se as coisas não correrem como desejado... bom, desejar com força ainda maior e esperar que o céu, i.e. conjunto de variáveis macroeconómicas que norteia a pseudopolítica fiscal deste governo troikista, não nos caia na cabeça. A reconfiguração dos escalões do IRS é um exemplo desta mundividência irreal.

De acordo com um estudo independente realizado pela auditora PwC, ocorrerá um aumento da regressividade de um sistema fiscal cuja função redistributiva já está, actualmente, invertida. Porque distribui rendimento de forma ascendente em vez de corrigir assimetrias impróprias de um país civilizado. Como afirmou, em 1904, Oliver Wendell Holmes, juiz do Supremo Tribunal dos E.U.A, os impostos servem para comprar civilização. Mas também servem para a erodirmos, caso seja essa a vontade política predominante. Talvez, no mundo mágico do Ministério das Finanças, esse país não seja o país desigual dos estudos da OCDE.

No mundo real, aquele em que medidas draconianas são impostas a mando de um clube de credores e sujeitam um povo inteiro à destruição do seu modo de vida, com o beneplácito de elites políticas cartelizadas e hipnotizadas pela alquimia monetarista, esse país está em queda livre e urge reinventar a política, desmontando o pensamento mágico de auto-proclamados feiticeiros como Vítor Gaspar ou os representantes da 'troika'.

Luis Pais Bernardo | Diário Económico | 17-09-2012

Comentários (2)


Exibir/Esconder comentários
...
Este é o preço da entrada para o € "my friend".
Pobres a quererem ser ricos é no que dá.
No início foi uma miragem de subsídios, parecia a terra do leite e mel.
Agora é ver os tubarões a aparecer e a querem abocanhar o seu bom pedaço.
Quem puder é fugir.
Quem não puder "Viva la revolucion".
Ai Ai , 18 Setembro 2012
Quem tem TSU tem tudo!
É raro ver o povo português tão cheio de TSU!
Espero sinceramente que tire a TSU toda ao governo!
Pedro só , 18 Setembro 2012

Escreva o seu comentário

reduzir | aumentar

busy

Últimos conteúdos

A estrutura da InVerbis está organizada por anos e classificada nos correspondentes directórios.Os conteúdos publicado...

O Estado assumiu, através da empresa pública Parvalorem, a dívida de quase 10 milhões de euros de duas empresas de Vítor...

Dos 118 homicídios cometidos em 2012, 63 tiveram familiares como protagonistas • Cinco pais e 18 padrastos detidos por a...

Pedro Lomba - Na primeira metade do ano o ajustamento negociado com a troika correu dentro do normal e expectável. Mas d...

Últimos comentários

Tradução automática

Opinião Artigos de Opinião Pensamento mágico nas Finanças

© InVerbis | 2012 | ISSN 2182-3138 

Sítios do Portal Verbo Jurídico