In Verbis


icon-doc
REVISTA DE 2012

Os ignorantes atrevidos

  • PDF

Domingos Amaral - Angela Merkel já veio dizer que, mesmo que o povo proteste, Portugal não pode em caso algum suspender a "austeridade". Infelizmente para a Europa e para Portugal, a Sra Merkel está rotundamente errada. Desde 2009 que os melhores e mais reputados economistas do mundo têm avisado que a austeridade só causa recessão e não resolve o pagamento da "dívida soberana". Pelo contrário, só agrava a situação.

Já o escreveram muitas mentes brilhantes, como os prémios Nobel da Economia, Paul Krugman e Joseph Stiglitz; o economista Nouriel Roubini, o único que previu a crise financeira mundial de 2008; o professor Paul de Grauwe, o melhor especialista em economia europeia; Martin Wolf, o melhor analista económico, que escreve no Finantial Times; ou mesmo George Soros, o bilionário e investidor financeiro que publicas as suas ideias no New York Review of Books. Todos eles, sem excepção, já explicaram que a "austeridade causa recessão, e a recessão leva à queda das receitas fiscais e ao aumento da despesa em subsídios de desemprego, e por isso aumenta o deficit orçamental dos países", o que torna quase impossível o pagamento das "dívidas soberanas".

A austeridade provoca quedas bruscas no PIB, e como o stock de dívida permanece constante, aumenta o peso da dívida sobre o PIB. Por exemplo em Portugal, há cerca de ano e meio a "dívida soberana", ou dívida pública, era de uma dimensão idêntica à do PIB do país. Ou seja, a "dívida soberana" era 100 por cento do PIB anual. Hoje, perto do final de 2012 e graças à "austeridade", esse valor já é superior a 110 por cento! Portugal, depois da austeridade, tem mais dificuldade em pagar as dívidas e não menos, como era objectivo dos programas da "troika". Há três anos, o problema era menos grave do que é hoje, e daqui a três anos será mais grave do que é hoje. Cada ano que passa, estamos pior. Se não fosse trágico, era um erro cómico! Se Passos e Merkel fossem estudantes era certinho o chumbo a Macroeconomia!

Como são políticos e estão no poder, ninguém sabe até quando vai durar a sua teimosia e cegueira intelectual, bem como a fé imensa de muitos outros "fanáticos da austeridade", que por aí peroram nos jantares e nos cafés, nos jornais e nas televisões. Mas que se está a agravar o problema, disso ninguém tenha dúvidas. A austeridade mata lentamente um país, como está a matar lentamente a Grécia e Portugal, e deixa-nos mais pobres e cada vez menos capazes de pagar as nossas dívidas. Quem disser o contrário é porque se recusa a ver a realidade dos números, coisa que os inteligentes economistas que citei neste texto nunca fizeram, e por isso são os melhores do mundo.

Contudo e infelizmente para muitos de nós, a ignorância costuma ser muito atrevida, e o planeta está cheio de ignorantes atrevidos. Como o sr. Passos Coelho ou a sra Merkel, por exemplo. Em economia, são uns ignorantes, mas lá atrevimento não lhes falta.

Domingos Amaral | O Diário de Domingos Amaral | 19-09-2012

Comentários (2)


Exibir/Esconder comentários
...
Adoro estas tiradas da Zau Angela... Oinc, oinc (não sei como se "diz" isto auf deutsch...).
Zeka Bumba , 21 Setembro 2012
Toca a estudar a matéria, seus calões!...
Paul Krugman e Joseph Stiglitz, Nouriel Roubini, Paul de Grauwe, Martin Wolf, George Soros (...)
Todos eles, sem excepção, já explicaram que a "austeridade causa recessão, e a recessão leva à queda das receitas fiscais e ao aumento da despesa em subsídios de desemprego, e por isso aumenta o deficit orçamental dos países", o que torna quase impossível o pagamento das "dívidas soberanas".
Giulia , 22 Setembro 2012

Escreva o seu comentário

reduzir | aumentar

busy

Últimos conteúdos

A estrutura da InVerbis está organizada por anos e classificada nos correspondentes directórios.Os conteúdos publicado...

O Estado assumiu, através da empresa pública Parvalorem, a dívida de quase 10 milhões de euros de duas empresas de Vítor...

Dos 118 homicídios cometidos em 2012, 63 tiveram familiares como protagonistas • Cinco pais e 18 padrastos detidos por a...

Pedro Lomba - Na primeira metade do ano o ajustamento negociado com a troika correu dentro do normal e expectável. Mas d...

Últimos comentários

Tradução automática

Opinião Artigos de Opinião Os ignorantes atrevidos

© InVerbis | 2012 | ISSN 2182-3138 

Sítios do Portal Verbo Jurídico