In Verbis


icon-doc
REVISTA DE 2018

Vice-Presidente CSM refere que candidatos à ASJP estão a "mistificar"

  • PDF

mariobelomorgado1O Conselho Superior da Magistratura  diz que os candidatos à liderança da Associação Sindical de Juízes Portugueses estão a atacar este órgão de disciplina e gestão dos juízes de forma injusta e fala em “mistificação”. Mário Morgado diz ter dificuldade em compreender que a campanha eleitoral “tenha sido no essencial de natureza negativa, muito baseada em críticas injustas”.

Em causa estão as críticas que os candidatos das três listas que concorrem às eleições do próximo sábado têm feito à actuação do CSM, que acusam de ingerência na independência dos magistrados judiciais. Em entrevista ao Jornal de Notícias, um deles, Manuel Soares, fala mesmo numa “deriva autoritária e opressiva” deste órgão.

Nos últimos meses, o conselho abriu um processo disciplinar ao juiz Neto de Moura depois de este ter proferido um acórdão em que desculpabilizava a violência doméstica exercida sobre “mulheres adúlteras” e suspendeu outro magistrado que mandou os funcionários judiciais às suas ordens imprimirem todos os documentos de um processo que tinha em mãos. Todos os programas eleitorais dos candidatos à associação sindical condenam a obrigatoriedade da chamada desmaterialização processual.

Contactado pelo PÚBLICO sobre estas questões, o vice-presidente do CSM, Mário Morgado, diz ter dificuldade em compreender que a campanha eleitoral “tenha sido no essencial de natureza negativa, muito baseada em críticas injustas” a este órgão. “Todas as listas têm tentado passar a ideia de que o actual conselho recorre em demasia à acção disciplinar, o que é uma mistificação”, exemplifica. “Nos juízes de primeira instância, de 2012 a 2015, a média anual de processos disciplinares foi de 38, enquanto no período de 2016 e 2017 foi de 26,5”, contabiliza, adiantando que a resolução do diferendo pode passar por o CSM passar a publicar as decisões disciplinares mais relevantes.

As críticas dos candidatos abrangem também os presidentes das comarcas judiciais, que querem que sejam eleitos em vez de nomeados. Queixam-se ainda da funcionalização dos juízes. “Mas não dão qualquer exemplo concreto de actuação incorrecta dos presidentes das comarcas nem definem o que é isso da funcionalização”, reage Mário Morgado, segundo o qual “nenhum juiz português se deixaria funcionalizar”.

Ana Henriques | Público | 14-03-2018

Comentários (4)


Exibir/Esconder comentários
...
Simplesmente vergonhoso. A ditadura do medo,dos números e do "quero, posso e mando" no seu esplendor de quem teve o número mais reduzido de votos alguma vez para o CSM e um número recorde de votos brancos (307!!) e nulos (64!)
Anti-Maçon , 18 Março 2018 - 11:44:49 hr.
maçon
8 anos passam depressa e não vai deixar saudades da sua "governação".
O demérito...nada melhor que subir pela cor partidária e vergões...
i , 19 Março 2018 - 00:03:07 hr.
...
Típico: a falta de tolerância e respeito pelos outros normalmente andam associadas a autoritarismo....Se o deixassem, teríamos um Jean-Bedel....
cblue , 19 Março 2018 - 14:40:53 hr.
Sabemos todos do que estamos a falar
«Deriva autoritária» é dizer pouco...
As «explicações» do VP são para épater les bourgeois...
A crítica não se dirige ao número de processos disciplinares; antes à escolha dos casos disciplinares e às sanções aplicadas (ou tentativas de aplicação) gizando a chamada prevenção geral negativa - isto é - a intimidação de terceiros (dos juízes em geral.
Não indicar concretamente - em público - nenhum desmando dos (de alguns) juízes presidentes é um ato de higiene que o VP pura e simplesmente não compreende! Mas deveria. Sabe ele, como sabem todos os juízes, de que é que se fala.
Pode com estes subterfúgios enganar o jornalista interpelante; o que jamais logrará é granjear o respeito da comunidade dos juízes.
Espero que a ASJP lhe diga com todas as letras o que todos os votantes quiseram expressar: ganhe coragem e vá-se embora.
Conde de Abranhos , 19 Março 2018 - 22:46:53 hr.

Escreva o seu comentário

reduzir | aumentar

busy

Últimos conteúdos

«Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu. Há tempo de nascer, e tempo de ...

Para aceder aos conteúdos anteriores da Revista Digital InVerbis: 2018 Prima no menu superior e seleccione a secção cuj...

A economia portuguesa continua a abrandar. De acordo com os dados da OCDE, em maio, esta trajetória descendente no ritmo...

{youtube}wp7AkPKfgJY{/youtube}(c) JUSTAMENTE Falar de Justiça Um Alerta ASJP | Ao serviço dos Cidadãos ...

Últimos comentários

  • Fim

    É com tristeza que vejo o fim, quem sabe uma interrupção, deste espaço de informação e debate. Bem haja pelo empenhamento e ...

  • Fim

    Ao Senhor Juiz Joel quero agradecer este espaço livre e independente de interessantes e proveitosos debates sobre o tema da Justi...

  • Fim

    Obrigado, caríssimo Colega, pela brilhante revista digital, por mim e tantos outros consultada diariamente! Lamento, profundament...

Forense Magistrados: Juízes Vice-Presidente CSM refere que candidatos à ASJP estão a "mistificar"

© InVerbis | Revista Digital | 2018.

Sítios do Portal Verbo Jurídico