In Verbis


icon-doc
REVISTA DE 2016

Marcelo põe em causa Acordo Ortográfico

  • PDF

O Presidente da República (PR), Marcelo Rebelo de Sousa, poderá relançar o debate em torno do Acordo Ortográfico de 1990, que entrou em vigor no nosso país em 2009 mas que ainda não se aplica em Angola nem em Moçambique.

Segundo Pedro Mexia, consultor cultural de Marcelo, têm chegado a Belém "pedidos de cidadãos e instituições manifestando-se contra o acordo" e "o PR entende que este só poderá ter continuidade se, de facto, for ratificado por todos os países envolvidos. Caso contrário, a questão tem de ser repensada".

Em 1991, Rebelo de Sousa foi uma das personalidades que subscreveu o manifesto contra o Acordo Ortográfico, embora posteriormente se tenha declarado a favor do documento. Já depois da sua eleição para Belém escreveu um artigo no ‘Expresso’ em que usou a antiga grafia, suscitando burburinho.

Caso venha a verificar-se, uma revisão do acordo afetará a atividade editorial, mas Pedro Sobral, diretor da Leya Edições Gerais, desvaloriza a questão. "A alteração do acordo teria impacto se, na altura da sua aplicação, a Leya tivesse ‘ordenado’ aos autores para o seguirem. Não é o caso", garante. Da Parsifal, Marcelo Teixeira encolhe os ombros. "Fomos das poucas editoras que nunca aplicou o acordo, a não ser a pedido dos autores", explica. A Porto Editora não comentou. "Não conheço as palavras do PR", diz Paulo Gonçalves.

Uma alteração ao Acordo teria o seu maior impacto no mercado dos manuais escolares.

Ana Maria Ribeiro | Correio da Manhã | 01-05-2016

Comentários (2)


Exibir/Esconder comentários
Espero bem que sim! E adiante!
Não votei Marcelo! Nem nunca achei que Marcelo resolvesse utilizar com liberdade "les petites cellules grises de son cerveau!" Em simultâneo , Costa nunca me "disse nada", nunca tocou a minha sensibilidade, intelectual ou politica.
Aparentemente estou enganado. Costa tem-se revelado um POLITICO (com maiusculas) e Marcelo, um presidente que resolveu livrar belém do Mofo obscurantista de um certo conjunto de "múmias paraliticas" que segundo Marcelo (e bem) nunca se conformaram com o povo que os elegeu.
Este Marcelo "deslumbrado" e "irradiando felicidade" faz o tal de Passos e um certo ex-presidente de ar vampiresco e olhar vazio, quiça confuso de ecos intracranianos,parecer um Einstein da politica presidencial, sendo em simultaneo apaziguador, animador, facilitador acariciador etc.
Eu que nunca gostei do Marcelo ( e que até me sinto meio apimbalhado por dizer isto), começo a gostar do homem, e faço votos para que assim continue.
Dá-me gozo e talvez ingénuamente esperança...
Kill Bill , 02 Maio 2016 - 22:00:59 hr.
...
Tem raízes em Celorico de Basto, onde começou a campanha. É um homem do povo. Está tudo dito.
Indignado , 05 Maio 2016 - 22:33:09 hr.

Escreva o seu comentário

reduzir | aumentar

busy

Últimos conteúdos

InVerbis 2017 Com o termo do ano de 2016, cessaram as publicações de conteúdos nesta Revista Digital de 2016.Para acede...

O Sindicato dos Funcionários Judiciais (SFJ) avançou com uma providência cautelar no Tribunal Administrativo de Círculo ...

O Presidente da República afirmou esta quarta-feira em Coimbra que o sistema de justiça "é um problema", considerando qu...

Procuradores temem transferências sem consentimento que colocam em causa os princípios de estabilidade e inamovibilidade...

Últimos comentários

Tradução automática

Atualidade Direito e Sociedade Marcelo põe em causa Acordo Ortográfico

© InVerbis | Revista Digital | 2016.

Arquivos

Sítios do Portal Verbo Jurídico