In Verbis


icon-doc
REVISTA DE 2015

Banif: custo muito elevado para os contribuintes

  • PDF

António Costa reconheceu que a intervenção no Banif "tem custos muito elevados para os contribuintes, mas é a que melhor defende o interesse nacional". O primeiro-ministro criticou o anterior Governo por ter Estado nove meses a adiar um problema que sabia ter de resolver até ao final de Março.

A venda do Banif, feita num contexto de resolução, "tem um custo muito elevado para os contribuintes, mas é a que melhor defende o interesse nacional", defendeu este domingo, 20 de Dezembro, o primeiro-ministro António Costa, depois de anunciada a intervenção na instituição.

"A solução protege integralmente todos os depósitos, incluindo as poupanças dos emigrantes clientes do Banif", sublinhou Costa.

O primeiro-ministro criticou ainda o anterior Governo e, implicitamente, o Banco de Portugal pelo facto de terem deixado arrastar a situação do Banif. "Há mais de um ano que as autoridades portuguesas foram notificadas que, após a rejeição de sucessivos planos de reestruturação, a Comissão Europeia fixou um último prazo até Março de 2015 para apresentação de um plano credível. Passados nove meses desta data limite nada estava solucionado".

António Costa sublinhou por diversas vezes os "elevados custos" desta solução. Mas também revelou que "esta opção tem a vantagem de constituir uma solução definitiva para o problema, não ficando o Estado português sujeito a perdas futuras". Aliás, o primeiro-ministro admite que ainda poderia haver "recuperação dos custos assumidos".

O Banif será alvo de uma injecção de capital de 2.255 milhões de euros, dos quais 489 milhões pelo Fundo de Resolução e 1.766 através de injecção directa do Estado. "As imposições das instituições europeias e a inviabilização da venda voluntária do Banif conduziram a que a alienação hoje decidida fosse tomada no contexto de uma medida de resolução", afirma o comunicado divulgado este domingo, 20 de Dezembro, pelo Banco de Portugal.

O mesmo documento explica que na passada sexta-feira, dia 19 de Dezembro, o Governo, através do Ministério das Finanças, informou o Banco de Portugal de que não foi possível concretizar a venda de activos e passivos do Banif no âmbito do processo de alienação voluntária. Isto porque "todas as propostas apresentadas pelos potenciais compradores implicavam auxílio de Estado adicional, o que determinou que a alienação fosse feita no contexto de resolução". Recorde-se que o banco recebeu seis manifestações de interesse.

Maria João Gago | Negócios | 21-12-2015

Comentários (1)


Exibir/Esconder comentários
O Exm PR Cavaco Silva "sabia o que se estava passar e ajudou a encobrir esta situaçao" DN

Boas a cereja no topo do estado corrupto!!!!!!!!!
Ja no bpn foi assim e ainda lucrou com isso.!!!!!!!!
Estamos entregues a governantes, que se governam e o povo que pague!
A falta de justiça e apatia do povo é a unica justificaçao para isto acontecer
quanto a mim se houvesse justiça deviam ser todos investigados.
Mas pasme-se os Portugueses só em bancos ja tem para pagar cerca de vinte mil milhoes. Pelos vistos a falencia do estado foi por corrupçao do estado mas
estes politicos ,mentirosos profissionais, vieram dizer (como quem atira areia aos olhos)que o povo tinha andado a gastar demais! Depois do estado ter arruinado o mercado de arrendamento com rendas congeladas durante quase 30 anos Pudera todos tivemos de comprar casa .
A mim o estado roubou-me a unica coisa que pensava garantida a casa
este estado miseravel alterou o contrato de arrendamento unilateralmente e depois quando eu pagava 100 contos de renda o meu caseiro pagava 500esc
por uma vivenda sem condominio. Honesto era o Salazar e o Caetano coitado
até lhe roubaram a reforma estamos entregues á camorra e ela domina toda a politica todos os concurssos publicos .Ex Siresp só um concorrente caderno de encargos a 15000 eur quem ganhou SLN Dias Loureiro só custou 800% mais é preciso ter vergonha, A corrupçao dos submarinos estimada em 350milhoes ,condenados na Alemanha na Grecia e Portugal nada!!!!!!!!!!
Eles depois de se terem empanturrado de empréstimos na coisa publica foram ainda empaturrar-se mais com swaps que também dao rapel Dinheiro a quem as fazia,mas disso ninguém fala ?
Isto é uma máfia organizada, depois com a falta de justiça que se calhar até é dominada por eles nuca acontece nada, vejam o caso do amnésico, Dias Loureiro unha e carne com o dito ou dr Oliveira e Costa que foi condenado a pagar 950.000 Eur ? depois de deixar a nós todos um buraco ainda a crescer
de mais de quatro mil milhoes de euros
Mais espantoso é que o estado amigo, só nacionalizou o prejuízo ,o lucro da SLN ficou de fora e agora com outro nome ja facturou ao sns mais de 50milhoes e ja devem mais mil e quinhentos milhões ao estado
Mas é assim, se fosse um pequeno empresario ja as finaças é que recebiam,
mas como a nossa constituiçao é verbo de encher e dita justiça é cega e nao quer ver, resta-nos aguentar ou emigar que é o que vou fazer e levar toda a familia .Eles sempre quiseram fazer deste pais um sitio para passar férias. A outra alternativa é fazer mais uma revoluçao !
António Ramos , 21 Dezembro 2015 - 23:08:32 hr. | url

Escreva o seu comentário

reduzir | aumentar

busy

Últimos conteúdos

Com o termo do ano de 2015, cessaram as publicações de conteúdos nesta Revista Digital de 2015.Para aceder aos conteúdos...

Relatório de gestão da comarca de Lisboa revela falta de dinheiro para impressoras, papel higiénico, envelopes e lâmpada...

Mudança ignorou dúvidas de constitucionalidade levantadas pelos dois conselhos superiores dos tribunais, pela Associação...

Portugal assinala 30 anos de integração europeia a 1 de Janeiro, e três décadas depois de ter aderido à então Comunidade...

Últimos comentários

Atualidade Sistema Político Banif: custo muito elevado para os contribuintes

© InVerbis | Revista Digital | 2015.

Arquivos

• Arquivos 2012 | 2013 |2014 |
Arquivo 2007-2011
Blog Verbo Jurídico
(findo)

Sítios do Portal Verbo Jurídico