In Verbis


icon-doc
REVISTA DE 2015

Juízes recebem milhares de requerimentos "perdidos" no Citius

  • PDF

Problema afeta penhoras. Responsáveis pelo Citius confirmam e dizem que a culpa é da falta de ligação ao sistema informático dos agentes de execução. Falha que só se resolveu nas últimas semanas.

Os juízes dizem que estão a receber, desde janeiro, uma espécie de "onda" de milhares requerimentos "perdidos" algures no Citius, o programa informático dos tribunais. Requerimentos relacionados com penhoras e que tinham sido entregues nos meses anteriores, entre setembro e dezembro.

À TSF, a Associação Sindical de Juízes Portugueses (ASJP) faz a denúncia e explica que vão pedir explicações ao ministério. A secretária-geral, Maria José Costeira, conta que só se aperceberam da dimensão do problema nas últimas semanas: «durante meses tivemos a sensação que existiam requerimentos que não estavam nos processos, algo que ficou agora demonstrado porque no final de janeiro começaram a dar entrada milhares de requerimentos de agentes de execução que tinham sido enviados para tribunal em agosto e que andavam algures no sistema...».

A representante dos juízes explica que estes milhares de requerimentos, «bloqueados não se sabe onde», entraram agora «de repente» e estão relacionados com processos de execução, ou seja, penhoras. Na prática «existiram processos despachados» sem que o juiz tivesse a informação toda que devia, levando, por exemplo, a pedir informações que, afinal, já tinham sido entregues.

Um caso grave para a ASJP devido sobretudo à imagem que dá da justiça e ao trabalho extra para tribunais que já têm uma enorme falta de pessoal. Maria José Costeira diz que «as secções de execução continuam a funcionar muito mal com milhares de casos em que não sabemos a fase exacta em que estão» devido a informação errada sobre o estado dos processos. A representante dos juízes afirma ainda que, perante esta ''onda'' de requerimentos atrasados, «temos receio que o problema não aconteça apenas nas execuções».

Na resposta, a atual responsável pelo Citius, Albertina Pedroso, presidente do Instituto de Gestão Financeira e Equipamentos da Justiça (IGFEJ), explica que o que se passou com os requerimentos das execuções foi um problema de ligação entre o Citius e o sistema informático da Câmara dos Solicitadores (por onde passam estes casos).

TSF Online | 27-02-2015

Comentários (1)


Exibir/Esconder comentários
...
Se recebessem milhares de euros isso sim era notícia.
Agora, receber milhares de requerimentos é o pão nosso de cada dia.
Ai Ai , 01 Março 2015 - 14:34:05 hr.

Escreva o seu comentário

reduzir | aumentar

busy

Últimos conteúdos

Com o termo do ano de 2015, cessaram as publicações de conteúdos nesta Revista Digital de 2015.Para aceder aos conteúdos...

Relatório de gestão da comarca de Lisboa revela falta de dinheiro para impressoras, papel higiénico, envelopes e lâmpada...

Mudança ignorou dúvidas de constitucionalidade levantadas pelos dois conselhos superiores dos tribunais, pela Associação...

Portugal assinala 30 anos de integração europeia a 1 de Janeiro, e três décadas depois de ter aderido à então Comunidade...

Últimos comentários

Forense Magistrados: Juízes Juízes recebem milhares de requerimentos "perdidos" no Citius

© InVerbis | Revista Digital | 2015.

Arquivos

• Arquivos 2012 | 2013 |2014 |
Arquivo 2007-2011
Blog Verbo Jurídico
(findo)

Sítios do Portal Verbo Jurídico