In Verbis


icon-doc
REVISTA DE 2014

228 milhões em fraudes e burlas

  • PDF

Um relatório do Ministério Público revela que em 2013 foram movimentados 1367 inquéritos de corrupção, só no distrito judicial de Lisboa, envolvendo um montante total de 4,6 milhões de euros. Uma pequena parcela quando comparada com os casos de burlas e fraudes contra o Estado, designadamente Segurança Social, que ascendem a 228 milhões de euros.

Segundo o mesmo documento, que reúne os dados referentes ao período compreendido entre 2010 e 2013, foram investigados 1077 casos de corrupção, sendo que 55,4 por cento foram arquivados. Quanto ao último ano, houve uma quebra em todas as fases do processo menosinquéritos, menos julgamentos e menos condenações. Dos 93 casos que chegaram a tribunal, houve 64 condenações (68%) - uma redução da eficácia, pois em 2012 chegaram a julgamento 97 casos e houve 73 condenações (75%). Das 75 acusações que foram proferidas em 2013, quase metade (30) aconteceram no DIAP de Lisboa, onde o tempo médio para haver despacho é de 2 anos e 10 meses. A Procuradoria de Lisboa admite que é necessário " aprofundar o trajeto de formação dos magistrados, em particular no crime económico", mas fala, ainda assim, num "resultado de indesmentível qualidade" devido à especial atenção que tem sido dada ao crime económico.

Maior demora em Loures
Segundo o relatório anual da Procuradoria Distrital de Lisboa, liderada pela procuradora Francisca Van Dunem, a comarca de Loures é onde se demora mais tempo para proferir um despacho de acusação num caso de corrupção: quatro anos e cinco dias. Pelo contrário, a comarca de Grande Lisboa Noroeste (Sintra, Amadora e Mafra) é a mais célere: um ano, dois meses e 27 dias. Onde há mais acusações (30 das 75 do distrito judicial) é no Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa, liderado por Maria José Morgado, que tem uma secção vocacionada para o crime económico, coordenada por Teresa Almeida. Segue - se a comarca de Grande Lisboa Noroeste (7), Torres Vedras (6) e Almada (5)

Correio da Manhã | 12-02-2014

Comentários (7)


Exibir/Esconder comentários
...
condenações???
ui , 13 Fevereiro 2014 - 05:38:14 hr.
...
tudo arquivado ou absolvido... tenho a certeza!

Contribuinte espoliado , 13 Fevereiro 2014 - 08:38:33 hr.
Primeiro vais ao cirurgião plástico
Depois é tarde demais porque és velha
E por último vai à luta
PLANOS DE GRUPO
E EXPERIÊNCIAS CIENTÍFICAS
que não vão acabar mal só para alguns
ACREDITEM
o martelo do marisco dos juízes pode esmagar de propósitos maxilares da CIA e de muitos mais grupos que se divertem com a vida das pessoas e depois fingem que não sabiam de nada até hoje e que só querem ajudar.
EU JÁ NÃO ACREDITO NO PAI NATAL
Lili Fuzzili , 13 Fevereiro 2014 - 10:08:36 hr.
...
Talvez um bom psiquiatra possa ajudar, Lili Fuzzili.
Juiz de Direito , 13 Fevereiro 2014 - 22:02:02 hr.
...
Os problemas agravam-se na nossa sociedade, a corrupção nasce das necessidades mais simples dos cidadãos, em quererem ver pequenos assuntos de lana caprina resolvidos ( fiscais, judiciais etc) que os perturbam, levando-os aos pedidos de " jeitos" para inutilizar os tais pequenos problemas de lana caprina muitas das vezes criados pelo próprio estado, na sua eficiente..., actuação.
A corrupção, avança em todos os sectores, e no que diz respeito ao Fisco, que embrulham as soluções, já nem os TAF, resolvem, cedem às vontades das AT, com contornos por vezes de dificil compreensão, a corrupção veio e instalou-se, tudo em nome do bem fazer e da integridade.
O mercado sem trabalho, sem justiça, e sem economia sustentável, não irá muito longe, prevalecendo as habilidades " corrupção", pois é só assaltos e burlas de que ouvimos falar, nas instituições, condenações que são dificeis de serem conhecidas.
Só nos falta agora, iniciar uma nova publicação ( lista) aonde conste os corruptos do País.
armando , 14 Fevereiro 2014 - 07:58:38 hr.
...
Acho que as pessoas são mais infelizes desde que Portugal deixou de poder dizer que somos só pobres e também passou a poder dizer que simplesmente são Directivas da União Europeia.
Quem vai substituir Durão Barroso?
Acho que é tudo mais fácil desde que existe o cartão do cidadão.
A saída profissional ou de sobrevivência para quem não é competente para estar à altura da vaga ou não tem idade para trabalhar porque é velho/a demais ou novo/a demais para se reformar e não tem reforma é emigrar ou viver do rendimento mínimo de inserção.
Isto é preocupante e desesperante para quem vive nessas situações.
Lili Fuzzili , 14 Fevereiro 2014 - 12:33:06 hr.
...
Afinal Lili Fuzzili não é louca.
Gostei do comentário solto e certeiro.
Ai Ai , 14 Fevereiro 2014 - 22:59:15 hr.

Escreva o seu comentário

reduzir | aumentar

busy

Últimos conteúdos

Com o termo do ano de 2014, cessaram as publicações de conteúdos nesta Revista Digital de 2014.Para aceder aos conteúdos...


O número de funcionários judiciais diminuiu 9,9 por cento em seis anos, enquanto os magistrados do Ministério Público au...

A partir de 1 de janeiro, os médicos vão recuperar os 20% tirados ao pagamento do trabalho extraordinário. ...

Últimos comentários

Atualidade Direito e Sociedade 228 milhões em fraudes e burlas

© InVerbis | Revista Digital | 2014.

Sítios do Portal Verbo Jurídico