In Verbis


icon-doc
REVISTA DE 2014

Mulher perdoa marido que queria sexo de manhã e à noite

  • PDF

A mulher que foi sequestrada, ameaçada e coagida pelo companheiro a manter relações sexuais de manhã e à noite perdoou o marido. A vítima retirou a queixa que tinha feito na GNR de Canelas, em Vila Nova de Gaia, no final de dezembro. No entanto, o caso irá seguir para julgamento.

O perdão foi dado menos de um mês depois de o homem, de 52 anos, ter sido detido. A mulher, de 36 anos, já se tinha queixado à GNR pela coação sexual a que era sujeita por parte do companheiro. A 29 de dezembro, foi novamente forçada a fazer sexo. Como recusou, o companheiro foi ao posto da Guarda apresentar queixa contra a mulher.

"Um homem tem de ter pito de manhã e à noite e a mulher tem de dar", foi assim que justificou a queixa insólita.

O homem, que trabalha em reciclagem de plástico, acabou por ser detido por violência doméstica, sequestro e ameaças à vítima e insultos aos militares. Foi levado a tribunal, tendo o juiz determinado que o arguido está proibido de ter qualquer contacto, e por qualquer meio, com a vítima e de frequentar a própria casa.

A mulher, que não trabalha, poderia assim ficar sozinha na casa. Mas decidiu ir para uma casa de Segurança Social, de forma a ter acompanhamento e garantir a medicação que necessita de tomar por sofrer de uma doença psiquiátrica.

Agora, quer regressar à casa antiga. Retirou a queixa e disse que quer voltar para o companheiro. Por se tratar de um crime público (violência doméstica), a desistência da queixa não altera nada o decorrer do processo nem as medidas de coação do arguido. Talvez por isso, o homem recusa-se a receber a companheira e já alertou a GNR para a retirar de casa, caso isso acontecesse.

Ana Sofia Coelho | Correio da Manhã | 27-01-2014

Comentários (5)


Exibir/Esconder comentários
...
Já estava a sentir falta, é o que é...
Pois... , 27 Janeiro 2014 - 08:05:04 hr.
Ridiculo...
No entanto há que considerar a questão dos "deveres matrimoniais"! E se como diz o ditado popular "quem não pode sai de cima", o divórcio é a opção correcta!
Kill Bill , 27 Janeiro 2014 - 11:01:40 hr.
...
Concordo que o divórcio seja a opção correcta mas discordo em absoluto da questão dos "deveres matrimoniais". Tanto um membro do casal como o outro, devem optar pela separação se tiverem diferenças inconciliáveis que não permitam a saudável convivência em comum. O conceito de violação não se altera só por estarmos na constância do casamento...
De resto, os comentários do senhor e o comportamento da senhora, apesar de demonstrarem uma mentalidade pequenina, não implicam que o julgador feche os olhos e ignore os crimes cometidos.
NC , 27 Janeiro 2014 - 14:33:03 hr.
Contratos
Sugiro que de futuro os contratos matrimoniais estipulem os termos relativos á pratica sexual.
Dessa forma evitar-se-ão problemas como o relatado.
Baron Hubert Von Trak , 27 Janeiro 2014 - 15:35:33 hr.
Sem esta animação dos de baixo a justiça só criava musgo...
smilies/grin.gifsmilies/grin.gifsmilies/grin.gif
Assim e com o Estado Social Internacionalista Forte que tudo trata só têm que se preocupar os pensionistas...
Lusitânea , 29 Janeiro 2014 - 07:28:35 hr.

Escreva o seu comentário

reduzir | aumentar

busy

Últimos conteúdos

Com o termo do ano de 2014, cessaram as publicações de conteúdos nesta Revista Digital de 2014.Para aceder aos conteúdos...


O número de funcionários judiciais diminuiu 9,9 por cento em seis anos, enquanto os magistrados do Ministério Público au...

A partir de 1 de janeiro, os médicos vão recuperar os 20% tirados ao pagamento do trabalho extraordinário. ...

Últimos comentários

Atualidade Direito e Sociedade Mulher perdoa marido que queria sexo de manhã e à noite

© InVerbis | Revista Digital | 2014.

Sítios do Portal Verbo Jurídico