In Verbis


icon-doc
REVISTA DE 2013

Tribunais perdem 200 funcionários judiciais por ano

  • PDF

Os tribunais têm perdido nos últimos três anos uma média de 200 funcionários judiciais por ano, ao passo que o número de magistrados tem aumentado.

Segundo as mais recentes estatísticas do Ministério da Justiça, referentes a 2012, o número de funcionários caiu entre 2008 e 2012 8,4%, passando de 7.839 trabalhadores para 7.180.

Há muito que o Sindicato dos Funcionários Judiciais tem alertado para a insuficiência de meios humanos para fazer face ao elevado número de processos que se arrastam nos tribunais. Um problema que ganhou novo relevo com a imposição da troika para que as pendências fossem e extintas até 2014 e com a crise, em contra-ciclo, a aumentar os litígios em tribunal.

A ministra Paula Teixeira da Cruz tem recorrido a funcionários da bolsa de mobilidade, uma opção muito criticada porque coloca nas secretarias dos tribunais trabalhadores que nunca tiveram qualquer contacto com um processo judicial. O novo mapa judiciário, que entrará no terreno em 2014, voltou a trazer para o centro do debate o problema da falta de funcionários, com Juízes e magistrados do Ministério Público a avisarem que não existem funcionários suficientes nos tribunais para concretizarem a reforma com sucesso. De facto, as estatísticas revelam que entre 2009 e 2012 saíram dos tribunais um total de 607 funcionários sem que tivesse sido aberto concurso de recrutamento.

Magistrados alertam para a insuficiência de pessoal

Apesar, no entanto, de os mesmos dados estatísticos mostrarem que o número de juízes e de procuradores aumentou nos últimos anos, os magistrados já alertaram a ministra da Justiça para a "insuficiência" de magistrados no quadro de pessoal que consta do anteprojecto de reorganização judiciária. Juizes e procuradores avisam que este quadro está subdimensionado e que, se o número de magistrados não for aumentado em algumas novas comarcas distritais, "o que está em causa é a implementação e sucesso da própria reforma".

As estatísticas mostram que, no caso dos juizes, entraram no sistema nos últimos quatros anos (até 2012) mais 91 profissionais, um crescimento de 16,4%. Os magistrados do Ministério Público conhecerem ainda um aumento maior: em quatro anos o número de procuradores subiu 47%.

Dos mesmos dados pode aferirse que o quadro de pessoal das magistraturas têm tendência a um envelhecimento, já que o número de auditores de justiça (os que concluem o curso no Centro de Estudos Judiciários) tem registado nos últimos anos uma acentuada quebra. Entre 2008 e 2012 foram menos 47% de auditores que entraram no sistema. Em causa está o facto não só da ministra, pela primeira vez em 30 anos, não ter aberto o ano passado concurso para o curso, como também de ter diminuído o número de vagas nos cursos existentes.

Inês David Bastos | Diário Económico | 02-12-2013

Comentários (2)


Exibir/Esconder comentários
...
Com o elevado numero de Magistrados existentes e a verificada falta de funcionários (situação que está a ocorrer há muitos anos), resta à Srª Ministra colocar os Magistrados em excesso nas secretarias a cumprir os processos que eles próprios despacham.
Assim, já não existem queixas de que são abertas muitas conclusões.
Pós Troika , 02 Dezembro 2013
...
nao sei o que sao muitos magistrados.
serão juizes ou serão agentes do mp?...
pli , 02 Dezembro 2013

Escreva o seu comentário

reduzir | aumentar

busy

Últimos conteúdos

A crise trouxe dúvidas novas sobre a situação do país e a actuação dos políticos. As televisões portuguesas responderam ...

Com o termo do ano de 2013, cessaram as publicações de conteúdos nesta Revista Digital de 2013.Para aceder aos conteúdos...


Isabel Moreira - Ouvindo e lendo as epifanias sobre o Tribunal Constitucional (TC) que descobriram ali um órgão de sober...

Últimos comentários

Tradução automática

Forense Agentes Públicos Oficiais de Justiça Tribunais perdem 200 funcionários judiciais por ano

© InVerbis | 2013 | ISSN 2182-3138.

Arquivos

Sítios do Portal Verbo Jurídico