In Verbis


icon-doc
REVISTA DE 2013

Marinho Pinto finta limite de mandatos

  • PDF

Proposta de estatutos elimina artigo: Bastonário altera artigo dos estatutos que impede recandidatura a terceiro mandato.

A nova proposta de alteração dos estatutos da Ordem dos Advogados elimina o artigo que impõe uma limitação de mandatos do bastonário, permitindo assim a Marinho Pinto, que termina o segundo mandato no final do ano, recandidatar - se pela terceira vez.

Advogados ouvidos pelo CM falam num "golpe à Chávez" confirmando que com o desaparecimento dessa condição o bastonário deixa de estar limitado a dois mandatos de três anos. Caso o diploma seja aprovado este ano, Marinho poderá ainda beneficiar dessa alteração.

Onde se lia "não é admitida a reeleição do bastonário para um terceiro mandato consecutivo", no número 2 do artigo 10, lê-se agora "só são reelegíveis para mandato consecutivo dois terços dos membros dos órgãos", sem especificar.

Recorde-se que Marinho Pinto, que o CM tentou, sem sucesso, contactar, cumpre o segundo e último mandato, sendo que as eleições para a Ordem dos Advogados deverão ser marcadas para novembro. Antes, porém, o bastonário vai tentar convocar um Congresso Extraordinário para discutir o diploma.

Ana Luísa Nascimento | Correio da Manhã | 22-02-2013

Comentários (10)


Exibir/Esconder comentários
...
Este BOA é um orgulho para os advogados portugueses.
Digo , 23 Fevereiro 2013
...
Sim, os advogados merecem o BOA que elegeram.

Parabéns pela autodestruição da OA e da profissão!!!
Contribuinte espoliado , 23 Fevereiro 2013
...
Vão ver que por um estranhíssimo fenómeno legislativo, a alteração em causa ainda vai ser atribuída a culpa dos juízes.
E Marinho dirá: eu não tenho nada a ver com isto, não preciso de mais cargos. Mas se os meus colegas me persuadirem que a advocacia precisa de mim, então estarei sempre disponível para a defesa da profissão, independentemente dos meus desejos pessoais...
Hannibal Lecter , 24 Fevereiro 2013
Uma bufa
É assim... de fininho, que se fazem as «malandrices».
Francisco do Torrão , 24 Fevereiro 2013
...
E este novo pedaço ( "só são reelegíveis para mandato consecutivo dois terços dos membros dos órgãos",) também é uma excelente alteração. Não há dúvida de que não vai gerar polémica nenhuma... Depois quem é que salta e quem é pode ficar mais tempo? Suponho (sem pesquisar e sem ver mais nada, reconheço) que depois não faltem pessoas em igualdade de circunstâncias. Continuem a mexer constantamente nos diplomas e a encomendar alterações a escritórios de advogados, fazem muito bem. Sai-vos das quotas pagas com muito esforço, nem sabem quanto será pago ao tal (aliás, grande e, portanto, dos tais que o actual BOA tanto criticava) escritório ao qual segundo a imprensa foi pedida a proposta de alteração e continuam a pagar salários de juiz conselheiro a quem, felizmente, o não é.
g**o atento a mandar "bitaites" , 24 Fevereiro 2013
...
A semelhança entre o Marinho e o Hitler é que ambos destruiram uma carrada de coisas sem construir nada.

A diferença é que um tinha bigode e o outro tem a barba bem escanhoada.

E não é terceiro mandato, é Terceiro Reich.

smilies/grin.gifsmilies/grin.gifsmilies/grin.gif
Herr Flick, von GESTAPO , 24 Fevereiro 2013
...
Este b*********o é o máximo dos mínimos e, ganha como «gente grande»!
Dizia ele que os Presidentes dos CD's só andavam a gastar o dinheiro da OA e, que a formaç~~ao era uj grande negócio.
Hoje, a Formação da OA está nas mãos dos amigos do MP e este vive à magedoura da OA.
Por mim deve ficar até a ordem fechar!
O "COMPADRE ALENTEJANO" , 24 Fevereiro 2013
Marinho, o rei da finta, do truque e da OA
O grande democrata e republicano, ao estilo de Sócrates e quejandos.
Agora quer ser o rei dos advogados, ao que tudo indica para sempre (quem sabe se depois terá "direito" a designar o sucessor).
Não merecem melhor, já que o elegeram.
Ao menos ponham-lhe um nome a condizer, quem sabe um daqueles que lhe são conhecidos: D. Marinho e Tinto.
Viva o rei!
Haja Ética , 24 Fevereiro 2013
...
Isto tem alguma semelhança com os autarcas?
Sun Tzu , 24 Fevereiro 2013
...
Eu não excluo completamente a hipótese do BOA não pretender recandidatar-se. Imaginem só a mensagem que pode querer deixar passar: "num gesto de renovação democrática decidi não me recandidatar apesar de, como sabem, os novos estatutos permitirem esse cenário".

Não é um segredo para ninguém que o BOA tem aspirações políticas e, de um ponto de vista estratégico, pode ser preferível para ele mostrar um certo desprendimento do cargo (o que só fica bem na fotografia veja-se a situação do Bento XVI).

Sempre seria melhor que:

a) Deixar os estatutos tal como estão e assim ficar a ideia de que apenas não se recandidatou porque a lei não permitia.

b) Mudar os estatutos e recandidatar-se correndo o sério risco de perder (a oposição interna teria de ser muito autista para não ter percebido a lição de que não podem derrotar-lhe apressentando múltiplos candidatos).



JVC , 25 Fevereiro 2013

Escreva o seu comentário

reduzir | aumentar

busy

Últimos conteúdos

A crise trouxe dúvidas novas sobre a situação do país e a actuação dos políticos. As televisões portuguesas responderam ...

Com o termo do ano de 2013, cessaram as publicações de conteúdos nesta Revista Digital de 2013.Para aceder aos conteúdos...


Isabel Moreira - Ouvindo e lendo as epifanias sobre o Tribunal Constitucional (TC) que descobriram ali um órgão de sober...

Últimos comentários

Tradução automática

Forense Profissionais Liberais: Advogados Marinho Pinto finta limite de mandatos

© InVerbis | 2013 | ISSN 2182-3138.

Arquivos

Sítios do Portal Verbo Jurídico