In Verbis


icon-doc
REVISTA DE 2012

Os imbecis que destruíram Portugal

  • PDF

Tiago Mesquita - A dívida do nosso país pode ter muitas causas. Endógenas e exógenas, micro e macroeconómicas, conjunturais ou estruturais. Há todavia um traço comum que, a meu ver, é a principal causa do estado a que chegámos, independentemente das dificuldades que todos os países enfrentam, da crise internacional e de tudo o resto que gostam de nos vender.

A causa de que falo é simples e nada tem de rebuscada: o nosso país tem sido governado por um grupo de pacóvios com tiques de parolo. Os novo-riquismo da política portuguesa é sem duvida o maior cancro da democracia partidária.

O dinheiro público, quando gasto de forma racional, não é contabilizável. A boa utilização destes recursos traduz-se em melhorias que, direta ou indiretamente, permitem à sociedade manter níveis de desenvolvimento elevado. E só com desenvolvimento o crescimento pode ser sustentável. E o pior é que isto nunca aconteceu neste país.

De que serve construir dezenas e dezenas de autoestradas se não temos dinheiro para nelas circular, nem tão pouco para as pagar ou sustentar? O maior centro comercial da europa? A maior ponte da europa? E ter alguma coisa à nossa medida, não pode ser? É coisa de pobre? De que serve gastarmos milhões em formação se não temos empregos? E aeroportos sem aviões? E dezenas de estádios de futebol às moscas? E escolas sem alunos? Submarinos ou cortes na saúde? Tanques ou reformas? E parcerias feitas para o Estado ser prejudicado? Privatizações em cima do joelho? E os dinheiro que jorrou da UE durante décadas, em que foi investido? Snack bares atrás do sol-posto? Jipes para passear nos montes alentejanos? Não querem gastar a próxima tranche da Troika em plasticina e paus de giz? Quem gastou o que não devia? Quem gastou o que não tinha? Quem gasta o que não tem? Que futuro pensavam estas alminhas iluminadas que iriamos ter? Imbecis.

A forma abusiva, parola, irresponsável, impune, pacóvia, descontrolada, despesista, acéfala e em muitos casos socialmente 'criminosa' como sucessivas gerações de governantes têm vindo a desbaratar o património de todos, os bens e o dinheiro que deveria ser alvo de uma gestão cuidada e rigorosa, é a principal causa do estado de falência em que estamos. O novo-riquismo, a falta de visão, a falta de formação, qualidade e competência dos políticos portugueses é a principal causa desta crise. A génese desta crise é política. Mas infelizmente a irresponsabilidade destas pessoas é directamente proporcional às responsabilidades exigidas pelos mesmos aos portugueses, com as quais são permanentemente confrontados, sem terem culpa alguma. Comemos e calamos.

Gastassem menos, parolos.

Tiago Mesquita | Blogues Expresso | 29-11-2012

Comentários (11)


Exibir/Esconder comentários
Certo, mas ....falta o cerne
Só falta acrescentar o esbulho que tem vindo a ser feito de forma sistemática à classe média. E que continua a fazer-se. O estado está completamente capturado por quadrilhas de ladrões actuando em regime de alternância, acolitados por uma opinião pública acéfala, com destaque para a classe dos juristas dos quais destaco os constitucionalistas da treta.
Com esta estrutura, quando a economia voltar de novo a crescer, a riqueza voltará a ser apropriada pelos mesmos e o miséria e desigualdade grassará porque vigora um estado de vontade, de arbítrio onde impera e se encontra disseminada por toda a parte a tirania, isto é, o exercício de poder à margem do direito.
Por issoa única solução para este país passa pela constituição de um estado direito. Depois terá que haver uma opinião publica que ajuize e fiscalize o exercício do poder para que os mandatários não se transformem em mandantes e voltem a captura o estado para colocá-lo ao serviço de interesses de grupos e contra o interesse geral.
Picaroto , 30 Novembro 2012
...
Não foi só imbecilidade, está mais que dito que em grande parte foi rapinagem. Em cada uma destas obras e destes negócios injustificados quantas comissões não terão rolado para o bolso de polícos que começaram com uma mão atrás e outra à frente e hoje levam vida de faraós? Só pode ter sido assim, pois o dinheiro não chove do céu. Mas tudo na mesma, como a lesma. Está à vista, mas quem acusa é que tem de provar, como se esses artistas não soubessem bem apagar as pegadas.
Maria do Ó , 30 Novembro 2012
De Finições... ou De Finitos?... ou De Finados?
Grandiosa e apuradissima caracterização dos c@gamilhões de que me falava a minha avózinha referindo-se aos garimpeiros do volfrâmio..
A mais integra explicação para os dias que vivemos.
Infelizmente vem-me á memória a celebre máxima salazarista do "pobrezinhos mas honrados"!
Portugal sempre foi um país "remediado"! Uns imbecis cavaquistas, seguidos doutros imbecis rosáceos, começaram a contar os milhões de contos diários com que os europeus nos "abasteciam"!
Vai daí foi a mais completa desbunda!
A inconsciente CABRADA novo riquista pensava que isto era o Monte Carlo!

Aplausos para o artigo e para a selecção do Sr. Administrador!
Pedro Só , 30 Novembro 2012
...
Imbecis somos nós se pensamos que o dinheiro desapareceu por imbecilidade.
É certo que há os imbecis úteis.
Mas a maior parte dos políticos consegue pela via da política o que nunca conseguiria de outro modo.
Isto não é imdecilidade.
Coiso , 30 Novembro 2012 | url
Fizeram isso tudo mas disfarçaram-se de Sta Teresa de Calecutá...
smilies/grin.gifsmilies/grin.gifsmilies/grin.gif
Dedicaram-se de alma e coração a salvar o planeta.Por conta do contribuinte obviamente.As escolas não são SEF, o SNS é "universal", a habitação um direito.Os nossos grandes pensadores querem voltar à época dos descobrimentos mas com o indigenato a pagar...
Segundo a rapaziada e de acordo com Deus o mundo ainda vai ser todo "português"...
Lusitânea , 30 Novembro 2012
...
Blá, blá, blá, blá... toda a gente, ou quase toda a gente, critica os nossos governantes dos últimos 30 anos, pelo menos, mas o que é certo é que na hora do voto, lá estão os que criticam e os outros a votar nos mesmos de sempre (PS, PSD, CDS), depois vêm para os blogues, foruns, cafés, etc., criticar.

O que me irrita mais ainda, é o facto de nunca ter contribuído com um voto que seja para estes larápios (PS, PSD e CDS) governarem e ter que os gramar.

Isto é vira o disco e toca o mesmo, ora rouba o PS, ora rouba o PSD, ora rouba o PSD mais o CDS.
Zé da Laurinda , 30 Novembro 2012
Enganos
Está enganado Zé da laurinda!
Não são os que refilam e criticam que "VOTAM SEMPRE NOS MESMOS"!
São os ignaros, os de sempre, os "lusitâneas" deste país, ignorantes, incultos, acriticos e burróides que acham que um partido é como um clube de futebol!
Valha-lhes zeus!
Pedro Só , 30 Novembro 2012
...
Zé da Laurinda
A mim também me irrita ter que pagar uma dívida para a qual não contribuí.
Também me irrita que algumas pessoas, no seu local de trabalho tenham denunciado abusos e despesas extras e tenham pago por se amedrontarem pelo futuro.
Faço parte dos que se irritaram e esperaram, não por 2012, mas pela catástrofe que está à porta e acabaram duplamente condenados.

Quando no meu País se amedronta o cidadão que fala verdade... o que esperam?
Ribas , 30 Novembro 2012
Parolos, Pacóvios e Imbecis!...
Absolutamente, caríssimo Mesquita!
Nunca a profusa adjetivação fez tanto sentido!...
Christie , 30 Novembro 2012
...
Os imbecis que destruíram e continuam a destruir Portugal.

Depois daquilo a que chegámos à conta de endividamento nos mercados, não deixo de sentir curiosidade em saber o porquê de esta PANDILHA andar a sugar-nos o sangue todo para se poder voltar rapidamente aos mercados. Ou seja, andamos a ser depenados para depois vir mais do mesmo.

Será que os meninos também se estão a preparar para embolsar para eles e para os amigos como fizeram os socretinos?

Palpita-me que sim (e não sei porquê, depois de escrevinhar estas linhas, veio-me à ideia o doutor da mula ruça do curso feito à custa das equivalências cujos apupos que levou numa ocasião em que queria botar faldura me fizeram rir a bandeiras despregadas).
Zeka Bumba , 30 Novembro 2012
Brinquem com dildos anais...
smilies/grin.gifsmilies/grin.gifsmilies/grin.gif

É isso que partidos que não são clubes de futebol fazem.Ensinam a malta a ser enrabada com delicadeza.Não é Pedro Só?
Lusitânea , 01 Dezembro 2012

Escreva o seu comentário

reduzir | aumentar

busy

Últimos conteúdos

A estrutura da InVerbis está organizada por anos e classificada nos correspondentes directórios.Os conteúdos publicado...

O Estado assumiu, através da empresa pública Parvalorem, a dívida de quase 10 milhões de euros de duas empresas de Vítor...

Dos 118 homicídios cometidos em 2012, 63 tiveram familiares como protagonistas • Cinco pais e 18 padrastos detidos por a...

Pedro Lomba - Na primeira metade do ano o ajustamento negociado com a troika correu dentro do normal e expectável. Mas d...

Últimos comentários

Tradução automática

Opinião Artigos de Opinião Os imbecis que destruíram Portugal

© InVerbis | 2012 | ISSN 2182-3138 

Sítios do Portal Verbo Jurídico